Moçambique

Moçambique: Estado Islâmico reivindica ataques em Cabo Delgado

O Estado Islâmico reivindicou nesta terça-feira, 24 de março, o ataque terrorista ocorrido em Mocímboa da Praia, na província de Cabo Delgado, através da sua agência de notícias “Amaq”.

Em reação a este acontecimento, o porta-voz do Conselho de Ministros de Moçambique, Filimão Suaze, afirmou que a invasão à vila resultou em mortes, destruição de infraestruturas públicas e privadas, além de raptos de algumas pessoas cujo paradeiro permanece desconhecido.

Foi por volta das 04:00 locais (menos duas horas de Lisboa) de segunda-feira que os grupos criaram barricadas nas principais entradas de Mocímboa da Praia. Enquanto houve disparos e gritos de confrontação, os habitantes locais esconderam-se dentro das suas casas.

Depois, um grupo de insurgentes içou a sua bandeira e realizou ataques que se prolongaram até ao princípio da tarde, tendo tal atingido ainda no quartel das Forças de Defesa e Segurança do país, de acordo com o comandante-geral da Polícia da República de Moçambique.

Na sessão desta terça-feira, o Conselho de Ministros analisou, entre várias matérias, o problema existente em Cabo Delgado, alvo de constantes invasões desde outubro de 2017. Suaze declarou que as autoridades informaram que “os malfeitores retiraram-se”, mas deixaram “rastos em alguns locais da vila: sangue, corpos humanos e pessoas levadas para lugar incerto”.

Entretanto, “os ministros do Interior e da Defesa encontram-se no terreno a fazer um trabalho” que permitirá avaliar o impacto das ações dos malfeitores, fazendo um levantamento dos danos causados às instituições públicas e privadas, bem como de eventuais feridos e perdas humanas. O Governo continua a apelar a uma maior vigilância da população, em particular dos jovens, em relação aos ataques armados em Cabo Delgado.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo