Moçambique: Ex-chefe do SISE diz que EMATUM era uma operação de segurança dissimulada

O antigo chefe dos serviços de informação económica do Serviço de Segurança de Moçambique (SISE), António do Rosário, declarou durante o julgamento das “dívidas ocultas” que parte do trabalho da Empresa de Atum de Moçambique (EMATUM) foi realizado pelas Forças de Defesa e Segurança (FDS). A informação foi divulgada esta terça-feira, 12 de outubro. 

No entanto, continuou, tal não poderia ser admitido publicamente “porque poderia assustar os bancos”. Esta afirmação foi feita durante o quinto dia consecutivo do depoimento de António do Rosário no Tribunal da Cidade de Maputo. 

Recorde-se que este arguido, um dos 19 suspeitos das “dívidas ocultas”, é acusado de crimes como peculato e lavagem de dinheiro. 

A declaração que o ex-membro do SISE fez significa que a pesca do atum era, em parte, uma fachada para atividades de segurança. Mas a resposta não convenceu a procuradora Sheila Marrengula, que disse não existir nada sobre defesa e segurança nos estatutos da empresa EMATUM, nem no estudo de viabilidade. 

Quando questionado sobre se havia alguma evidência para sua alegação, o réu respondeu que “a única prova é a transferência de equipamentos da EMATUM para o Ministério da Defesa. Segundo a mesma fonte, a frota EMATUM era o único meio de que as FDS dispunham para vigiar toda a Zona Económica Exclusiva de Moçambique, desde a fronteira sul-africana até à fronteira com a Tanzânia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin