Moçambique: Ex-guerrilheiros da Renamo não recebem subsídios há meses

Os ex-guerrilheiros da Renamo estão há três meses sem receber subsídios, devido à falta de fundos para dar seguimento ao processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (DDR)

A escassez de dinheiro não afeta então apenas o cumprimento dos prazos, mas também a situação financeira dos guerrilheiros já desmobilizados, que aderiram ao processo em causa. 

De acordo com a imprensa moçambicana, o problema dos subsídios está a afetar as províncias de Sofala, Manica e Inhambane. 

Segundo o líder da Renamo, Ossufo Momade, este problema não preocupa só os desmobilizados, mas também o partido, o Governo e a comunidade internacional. No entanto, o dirigente assegurou que a situação iria ser normalizada nos próximos dias, uma vez que o Governo já reuniu o dinheiro junto dos parceiros. 

Até ao momento, o DDR já abrangeu 2.307 ex-guerrilheiros da Renamo, dos 5.221 homens previstos. Desses desmobilizados, 62 desertaram da autoproclamada Junta Militar da Renamo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *



Artigos relacionados

Angola defende Guiné Equatorial no processo da pena de morte

Angola defende Guiné Equatorial no processo da pena de morte

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, acredita que a Guiné Equatorial está “a fazer a sua parte” para abolir a pena…
Timor-Leste regista 856 empresas indonésias

Timor-Leste regista 856 empresas indonésias

O Embaixador da Indonésia em Timor-Leste, Sahat Sitorus, informou que o Serviço de Registo e Verificação Empresarial de Timor-Leste (SERVE-TL) registou, atualmente,…
Moçambique recebe apoio de 4.6 biliões de meticais da Alemanha

Moçambique recebe apoio de 4.6 biliões de meticais da Alemanha

Moçambique recebeu nesta quinta-feira, 17 de junho, 4.6 biliões de meticais da Alemanha para o setor da Educação e obras públicas. A…
Revista de Imprensa Lusófona de 18 de junho de 2021

Revista de Imprensa Lusófona de 18 de junho de 2021

O “Jornal de Angola” escreve que a “Taxa de desemprego cai para 30,5 por cento”. De acordo com o “Portal de Angola”,…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin