Moçambique: Exército do Ruanda avalia terreno de Cabo Delgado

Militares ruandeses têm sido vistos na província moçambicana de Cabo Delgado desde a semana passada, a 23 de junho. Trata-se de um grupo constituído por 35 oficiais de Paul Kagame, que chegou a Pemba para avaliar as condições para uma intervenção no terreno contra terroristas. 

Os militares irão ficar duas semanas no local, onde analisarão assim as condições de segurança em Cabo Delgado. Esta é a segunda missão de oficiais ruandeses na província moçambicana, tendo a primeira decorrido entre 07 e 09 de maio. 

O chefe de Estado de Moçambique, Filipe Nyusi, prefere, alegadamente, a tropa ruandesa em primeiro plano. O motivo deve-se, supostamente, ao facto de considerar que esta tem experiência própria de combate contra situações similares de terrorismo jihadista. 

No entanto, recorde-se que a Força de Alerta da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla inglesa) já está também a dar passos no terreno para uma intervenção em Cabo Delgado.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Moçambique: Chuvas matam três pessoas em Cabo Delgado

Moçambique: Chuvas matam três pessoas em Cabo Delgado

As chuvas intensas que caíram nos últimos dias, no distrito de Chiúre, região sul de Cabo Delgado, causaram a morte…
Cabo Verde: PR condena "actos violentos antidemocráticos" no Brasil

Cabo Verde: PR condena "actos violentos antidemocráticos" no Brasil

O Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Neves, condenou neste domingo, 08 de janeiro, os “actos violentos antidemocráticos”…
Brasil: ONU condena tentativa de golpe contra a democracia brasileira

Brasil: ONU condena tentativa de golpe contra a democracia brasileira

A mais alta instância da diplomacia internacional emitiu um alerta sobre a crise vivida pelo Brasil. O secretário-geral da ONU,…
Cabo Verde: SINDPROF contra passagem automática dos alunos do 1º ao 4º ano

Cabo Verde: SINDPROF contra passagem automática dos alunos do 1º ao 4º ano

Lígia Herbert, Presidente do SINDPROF, reitera que “é urgente arrepiar caminhos e acabar com as passagens automáticas, para o bem…