Moçambique: FDS continuam em busca de dissidentes da Renamo

O comandante-geral da Polícia da República de Moçambique (PRM), Bernardino Rafael, orientou nesta quinta-feira, 15 de abril, as Forças de Defesa e Segurança (FDS) a continuarem com operações para a localização dos membros da autoproclamada Junta Militar da Renamo.

Recorde-se que este grupo dissidente do maior partido de oposição é acusado de protagonizar ataques no Centro do país.

“Continuem a procurar aquelas pessoas que ainda não se entregaram [ao processo de paz], os da suposta Junta Militar da Renamo. Continuem a procurá-los para que eles respondam à justiça e, alguns, depois disso, passarão para a Desmilitarização, Desarmamento e Reintegração [DDR], afirmou durante um encontro com membros da corporação, no âmbito da visita à província de Sofala, no Centro de Moçambique.

 A Junta Militar da Renamo é liderada por Mariano Nhongo, ex-dirigente de guerrilha, é contesta a liderança da Renamo, levada a cabo por Ossufo Momade, bem como as condições para a desmobilização decorrentes do acordo de paz.

Assim, o grupo é apontado pelas autoridades como responsável pelos ataques armados no Centro do país que já mataram, pelo menos, 30 pessoas desde 2019.

“Continuem em prontidão, controlem a livre circulação no troço Muchungue, Inchope e Caia”, realçou Bernardino Rafael, numa alusão aos troços mais afetados pelas incursões da autoproclamada Junta Militar da Renamo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assinou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, o pedido formal de adesão à União Europeia…
Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

O Governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que morreram 11 pessoas e centenas ficaram feridas durante um ataque russo…
Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

A maioria dos angolanos que viviam em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, decidiu abandonar o local no sábado, 26…
Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin