Moçambique: Governador de Cabo Delgado visitou deslocados da ilha Mefunvo

Os deslocados dos ataques terroristas de grupos ligados à radicalização islâmica e que se refugiaram na ilha Mefunvo distrito de Quissanga, foram finalmente visitados, na última sexta-feira (19), pelo governador de Cabo Delgado, Valige Tauabo.

São no total 450 pessoas que abandonaram as suas regiões depois dos ataques de 2020 e 2021 nas aldeias dos distritos de Quissanga, Palma, Macomia e Mocimboa da Praia, e que vivem basicamente das actividades pesqueiras, com apoios dos Ilhéus locais.

Na interação com o governador, os deslocados de Mefunvo pediram o fim dos ataques terroristas, embora também tenham sido apelados a maior vigilância e denúncia aos indivíduos de conduta duvidosa na sociedade.

Diversos produtos alimentares, de higiene, insumos agrícolas e material de futebol foram oferecidos à população deslocada à ilha Mefunvo, para minimizar a falta de comida, prevenção de doenças diarreicas, incremento da agricultura e jogar a bola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin