Moçambique: Governo prevê comercializar 17,3 toneladas de produtos agrícolas

No lançamento da Campanha de Comercialização Agrícola 2022/2023 o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, disse que nesse período o país espera comercializar 17,028,748 toneladas de vários produtos agrícolas. 

O Governo estima que 21% dos produtos comercializados sejam cereais, 45% raízes e tubérculos, 13% hortícolas, 11% leguminosas, 4% oleaginosas e as restantes outras culturas. 

Segundo “O País”, o evento do lançamento da campanha que envolve todo o território moçambicano decorreu em Ricatla, no distrito de Marracuene, pertencente à província de Maputo. 

O chefe de Estado desafiou os produtores a melhorarem a produção, principalmente da cebola e da batata, para que haja uma melhoria no rendimento das famílias rurais. 

Para Nyusi não faz sentido que Moçambique continue a importar batata “rejeitada” por outros países. “Não vamos humilhar-nos a importar aquilo que podemos fazer bem”, defendeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: INSS capacita técnicos sobre aposentação

Moçambique: INSS capacita técnicos sobre aposentação

Mais de 45 técnicos afectos nas diferentes áreas e unidades orgânicas do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) de Moçambique,…
Cabo Verde gastou 4,5 milhões de euros com evacuações médicas para Portugal

Cabo Verde gastou 4,5 milhões de euros com evacuações médicas para Portugal

A Segurança Social de Cabo verde gastou 4,5 milhões de euros em 2021 com as evacuações médicas para Portugal, de…
Brasil: OIT mostra que 22,9 mil pessoas morreram em acidentes de trabalho nos últimos dez anos no país 

Brasil: OIT mostra que 22,9 mil pessoas morreram em acidentes de trabalho nos últimos dez anos no país 

A Organização Internacional do Trabalho, OIT, divulgou novos dados sobre acidentes e mortes de trabalhadores no Brasil. O estudo foi…
Moçambique: Funcionários que retornaram a Mocímboa da Praia pedem condições básicas

Moçambique: Funcionários que retornaram a Mocímboa da Praia pedem condições básicas

Não têm serviços de saúde básicos, banco e o negócio não está a fluir, por isso na última sexta-feira, os…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin