Moçambique: Governo vai financiar menos projetos da juventude em 2019

O Governo moçambicano decidiu, através da Proposta do Plano Económico e Social (PES) de 2019, que irá financiar no próximo ano um total de 33 iniciativas das gerações jovens, de acordo com “O País”. Este número corresponde à metade dos projetos juvenis apoiados em 2018, no âmbito do Fundo de Apoio a Iniciativas Juvenis (FAIJ), tendo os mesmos sido 66.

De acordo com o PES-2019, o financiamento vai ajudar 1.369 jovens. A par do FAIJ, esta camada social beneficiará de outras iniciativas, entre eleas o Fundo de Desenvolvimento Distrital, o Fundo de Fomento Pesqueiro e o Plano de Redução da Pobreza Urbana.

No que respeita à distribuição dos projetos, a província e cidade de Maputo deverá obter o maior número das iniciativas financiadas, correspondendo as mesmas a seis projetos. Já as restantes regiões do país terão igual número de projetos (3 cada) a receberem auxílio do Governo. Em 2018, as províncias de Nampula e Zambézia foram as que tiveram maior número de projetos financiados, que corresponderam a 13 e 12, respetivamente.

Segundo os dados divulgados pelas Nações Unidas, Moçambique apresenta uma taxa de 40% de desemprego na camada jovem, uma situação que tende a agravar devido, alegadamente, à ausência de uma política efetiva de emprego, principalmente para a juventude. O Executivo de Filipe Nyusi prevê criar poucos empregos no país no próximo ano, que corresponderão a cerca de 354.3 mil novos postos laborais, menos seis mil previstos para serem criados pelo Governo e setor privado em 2018. A maioria desses empregos criados irá ter lugar no setor privado, uma vez que o setor público só vai absorver 86.4 mil novos postos laborais.

A estratégia do Governo passa por alocar 450 kits de auto-emprego aos jovens nas profissões de agricultura, construção, carpintaria, serralharia, avicultura, frio e climatização, cozinha, corte e costura. Entretanto, a instituição financeira da Bretton Woods prometeu desembolsar uma verba na ordem de 80 milhões de dólares norte-americanos para o desenvolvimento de uma política de emprego mais inclusivas para os jovens moçambicanos.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

O Governo guineense através do Decreto nº 1/2023 de 19 de Janeiro determinou que 23 de Janeiro, outrora dia dos…
Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

O Movimento Nacional para Recuperação da Unidade Moçambicana (MONARUMO) comentou a recente diminuição do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA),…
Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

O chefe de Estado angolano, João Lourenço, assumiu o compromisso de o país usar 77% de energia renovável até 2027. …
Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

O turismo e privatizações em Cabo Verde decidiram financiar o fundo MAIS, definido pelo Governo e criado com o objetivo…