Moçambique: Greve suspensa em Nacala, mas salários continuam em atraso

Os funcionários e agentes do Estado afetos ao Município de Nacala suspenderam no domingo, 22 de janeiro, a greve iniciada no dia 4, mesmo sem nenhum acordo com a edilidade sobre o pagamento dos salários referentes aos meses de Novembro, Dezembro e décimo terceiro mês.

Depois de 18 dias de protesto no Conselho Autárquico de Nacala, eis que a liderança oficial da greve formalizou a suspensão imediata de greve e o retorno às actividades a partir desta segunda feira, 23 de janeiro. O facto deveu-se às acusações mútuas entre grevistas, que ultimamente já se encontravam fragmentados em alas, em busca de protagonismo e proveito particular no assunto.

Entretanto, os representantes dos grevistas convocaram a imprensa para formalizar o acto da entrega das chaves e da carta com as condições para o término da paralisação das actividade.

“Custou muito tomar essa decisão, porque as portas estão a ser abertas sem recebermos o que estamos a reivindicar e sem receber os nossos salários. Também pedimos desculpas ao povo Nacalense pois não podemos ficar indiferentes ao que está acontecer na Cidade de Nacala. Acreditamos que o Presidente vai cumprir o que prometeu por isso demos voto de confiança” explica Vialina Gouveia, representante dos grevistas.

Importa referir que até aqui nenhuma das reivindicações foi solucionada, sendo que a iniciativa de suspensão de greve visa salvaguardar os interesses públicos e evitar um mal maior, não só aos grevistas mas também aos munícipes.

De acordo com Chandek Niconela, um dos grevistas, embora não tenham sido pagos os salários em causa, a suspensão anunciada pela liderança foi sábia e visionária, no fim todos aproveitamentos deverão cair em terra ou quem quiser dar continuidade à greve, que faça da sua forma.

“Também a suspensão não significa relaxamento ou vitória do executivo liderado pelo Raul Novinte, como em outras ocasiões afirmamos, prevemos que num futuro próximo poderemos assistir à segunda edição de greve dos funcionários do Conselho Autárquico de Nacala, caso prevaleça o não pagamento dos salários e não cumprimento de outras reivindicações que já são do conhecimento do Presidente e seu executivo” disse.

Aurelio Sambo – Correspondente

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Partidos alertam para a agudização da instabilidade e caos total

Guiné-Bissau: Partidos alertam para a agudização da instabilidade e caos total

A Coligação PAI Terra Ranka e o Fórum para a Salvação da Democracia, que congrega MADEM-G15, PRS e APU-PDGB, reuniram…
Moçambique recebe mais USD 60 milhões do FMI

Moçambique recebe mais USD 60 milhões do FMI

Moçambique vai receber 60 milhões de dólares do Fundo Monetário Internacional (FMI), no âmbito do programa de assistência ao país. …
Cabo Verde: CMP trabalha para resolver reivindicações dos trabalhadores

Cabo Verde: CMP trabalha para resolver reivindicações dos trabalhadores

A Câmara Municipal da Praia (CMP) reafirmou o compromisso de resolver as reivindicações dos trabalhadores. No entanto, sublinhou que muitos…
Maláui: Brigada Anticorrupção manda prender oito funcionários da Migração por suspeita de corrupção 

Maláui: Brigada Anticorrupção manda prender oito funcionários da Migração por suspeita de corrupção 

Oito funcionários do Departamento da Migração de Lilongue e mais dois civis foram, esta quinta-feira (11), detidos por suspeita de…