Moçambique

Moçambique: Líder da Renamo promete melhores salários a funcionários do Estado

(c) Ossufo Momade

O candidato presidencial da Renamo, Ossufo Momade, escalou nesta segunda-feira, 09 de setembro, o distrito da Manhiça, província de Maputo, para apelar ao voto. As promessas que disse cumprir caso seja eleito a 15 de outubro incluíram a melhoria de salários para os funcionários públicos, emprego para os jovens e o combate à corrupção.

O político escolheu Manhiça no décimo dia da campanha eleitoral, sendo este um distrito com 214,751 habitantes, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas. No local esperavam-no centenas de pessoas ao longo da Estrada Nacional Número Um, tendo Momade feito uma passeata pela referida via e pelas ruas da vila municipal, distribuindo panfletos e deixando a seguinte mensagem: “Vote em Ossufo Momade, vote na mudança”.

O ponto de paragem foi o mercado Wa Nkakana, onde interagiu com os munícipes e a quem prometeu melhores salários e um combate cerrado à corrupção caso vença as eleições. “Nunca, nunca devem confiar naqueles que eu não quero dizer o nome aqui. Aqueles são ladrões e corruptos, só querem encher os seus bolsos”, criticou.

“Podem ouvir eles a chorarem a vossa frente, serão lagrimas de crocodilos”, acrescentou, garantido que quer implementar medidas sérias e muito rigor no combate às práticas corruptas, não só no distrito da Manhiça, mas em todo o país.

“Eles não têm sentimento”, afirmou, exemplificando “O Chang [ex-ministro das Finanças] está onde? É um peixe miúdo, mas há tubarões que estão sentados lá nos palácios. Queremos que aqueles também entrem nas cadeias. Para que sejam julgados por terem provocado uma dívida que não aplicaram aqui em Moçambique. Por isso nós dizemos que ninguém deve pagar essa dívida. Eles merecem castigo”.

Sobre as condições de trabalho e salários defendeu que “o funcionário do aparelho do Estado deve ter bom salário e não aquilo que estamos a receber agora. Um salário que não chega para nada e por isso em casa os filhos não têm comida. Os polícias devem receber, os enfermeiros e médicos não podem mais sofrer. Na educação os professores não conseguem concentrar-se em melhorar a qualidade de ensino porque recebem mal”.

Quando a caravana seguia pelas ruas da vila ocorreu uma confusão a meio do percurso. Membros da Frelimo, trajados com as roupas do partido, terão alegadamente provocado os integrantes da comitiva da Renamo e começado a agredir os presentes. No entanto, a caravana onde Momade ia só voltou a parar no mercado aeródromo.

O candidato presidencial aproveitou sempre a ocasião para apresentar António Muchanga como candidato da Renamo a governador da província de Maputo.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo