Moçambique: Lutero Simango oficializa candidatura à presidência do MDM

Lutero Simango já oficializou a sua candidatura à presidência do MDM. Recorde-se que o político é irmão do falecido líder deste partido moçambicano, Daviz Simango. 

O candidato e um dos fundadores do MDM disse estar focado na união, coesão e estabilidade da formação política. Neste âmbito, propôs que fosse realizado um debate político e a discussão de ideias, em vez de se discutir pessoas. 

“Dentro da nossa organização temos que aceitar o debate político. Vamos discutir ideias e não falar de pessoas. A nossa candidatura não fala de pessoas, falamos de ideias. É por essa razão que a nossa candidatura defende muito a união, coesão interna e estabilidade político-partidária”, esclareceu. 

Para Simango, a Constituição da República deve ser revista, já que considera ser necessário defender um Estado de direito democrático. Foi igualmente mencionada a despartidarização do Estado, bem como uma melhor educação e serviços de saúde de qualidade. 

A eleição está prevista para dezembro, durante o terceiro congresso do MDM. Lutero Simango tem como concorrentes José DomingosSilvério Ronguane

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin