Moçambique: Nhongo inflexível nas suas reivindicações

Apoiantes da Renamo

O líder da autoproclamada Junta Militar da Renamo, Mariano Nhongo, garantiu nesta quinta-feira, 29 de julho, que o seu movimento vai continuar a ser fiel às suas reivindicações. Assim, mantém a espera em relação à resposta do Governo acerca das mesmas.

“Eu não posso trair o povo e o mundo. A Junta Militar ainda existe e existirá para sempre”, afirmou a jornalistas na cidade da Beira, através de declarações feitas por telemóvel. Não se sabe onde o dirigente se encontra e sim apenas que está em um ponto incerto nas matas do centro de Moçambique.

Recorde-se que este grupo dissidente da Renamo contesta a liderança do atual presidente do principal partido da oposição no país, Ossufo Momade, e também as condições para a desmobilização dos guerrilheiros decorrentes do acordo de paz assinado em 2019.

De acordo com Nhongo, ex-líder de guerrilha da Renamo, o seu grupo enviou uma carta com reivindicações para o Governo moçambicano em 2019 e continua à espera da resposta para uma negociação. “A Junta Militar já enviou um documento ao Governo e esperamos por uma boa resposta”, partilhou.

No entanto, disse que o “Governo da Frelimo está a bombardear” as suas posições nas matas do centro do país. Isto porque a autoproclamada Junta Militar é apontada pelas autoridades como responsável por ataques armados que causaram a morte de, pelo menos, 30 pessoas desde 2019, em estradas e povoações das províncias de Manica e Sofala.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

O Governo japonês disponibilizou cerca de 170 mil dólares a Moçambique para a aquisição de cinco viaturas destinadas ao Serviço…
Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

A vice-governadora provincial para o setor Político, Social e Económico de Benguela, Lídia Amaro, afirmou que 593 ex-militares foram reintegrados…
Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

O Banco Mundial prevê que Timor-Leste registe um crescimento económico de 4,1% em 2024 e 2025, através do alívio das…
UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

A União Europeia (UE) anunciou o envio da próxima parcela de 50 milhões de euros para a Agência das Nações…