Moçambique: Nyusi acusado de indicar Credit Suisse nas “dívidas ocultas”

O ex-diretor da Inteligência Económica dos Serviços de Informações e Segurança do Estado (SISE) de Moçambique, António Carlos do Rosário, foi outro dos arguidos no processo das “dívidas ocultas” que mencionou o nome do atual Presidente da República, Filipe Nyusi, em julgamento

Segundo o réu, que era Presidente do Conselho da Administração das três empresas [PROINDICUS, EMATUM e MAM] envolvidas neste caso polémico, Nyusi recomendou a contração de parte das “dívidas ocultas” no Credit Suisse. A declaração aconteceu na passada sexta-feira, 08 de outubro, em tribunal. 

“Eu peço para pedir ao meu advogado para juntar aos autos a carta do então ministro da Defesa [Filipe Nyusi], se é que não existe nos autos, ao ministro das Finanças, indicando que foi identificado o Credit Suisse e que solicita a emissão de garantias”, disse na audiência. 

 A afirmação surgiu em resposta a uma pergunta do Ministério Público sobre a entidade que pediu ao então ministro das Finanças, Manuel Chang, a emissão de garantias que deram cobertura à mobilização das “dívidas ocultas”

“Eu pensei que já houvesse esses documentos [sobre a solicitação de Filipe Nyusi] nos autos, porque eu me lembro de terem sido entregues ao Ministério Público antes de eu ser preso”, acrescentou. 

Recorde-se que as “dívidas ocultas” foram contraídas entre 2013 e 2014 junto das filiais britânicas dos bancos de investimentos Credit Suisse e VTB pelas empresas estatais moçambicanas PROINDICUS, EMATUM e MAM. Os empréstimos foram secretamente autorizados pelo Governo da Frelimo, liderado pelo então Presidente da República Armando Guebuza, sem o conhecimento do Parlamento e do Tribunal Administrativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Cabo Verde: Correia e Silva quer Economia Digital a valer 25% do PIB

Cabo Verde: Correia e Silva quer Economia Digital a valer 25% do PIB

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, tem como meta fazer com que a Economia Digital contribua com 25% do Produto Interno Bruto (PIB). Este objetivo…
Grécia quer cooperar com Angola na Segurança Marítima

Grécia quer cooperar com Angola na Segurança Marítima

A Grécia manifestou a Angola o seu desejo de estabelecer cooperação nos domínios da Segurança Marítima, Comércio, Turismo, Indústria, Agricultura e Inovação. Essa…
Moçambique: INGD alerta para risco de inundações e cheias

Moçambique: INGD alerta para risco de inundações e cheias

A presidente do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD) Luísa Meque, apelou às comunidades que residem nas…
Timor-Leste: Diáspora na Coreia do Sul enviou mais de USD 30 milhões

Timor-Leste: Diáspora na Coreia do Sul enviou mais de USD 30 milhões

Os trabalhadores timorenses na Coreia do Sul já enviaram para Timor-Leste, de 2009 a 2021, cerca de 39 milhões de dólares…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin