Moçambique: Nyusi diz que desarmamento da Renamo vai ser concluído em 2021

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, aproveitou a celebração do 45.º aniversário da Independência Nacional, ocorrida em 1975, para declarar que o processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (DDR) dos cinco mil guerrilheiros da Renamo vai ser concluído em junho de 2021.

Esta informação surge após a Comunidade Internacional, que assiste ao processo de pacificação, ter anunciado o encerramento da primeira base da Renamo, localizada na província de Sofala.

Segundo o chefe de Estado, pouco mais de 300 guerrilheiros da Renamo foram já desmobilizados desde que o DDR foi retomado. Os visados entregaram as suas respetivas armas e receberam roupa, material de construção e valores monetários que variam consoante a patente de cada um.

“É esperança de todos os moçambicanos que o processo decorra num ambiente de muita honestidade, confiança, seriedade e celeridade”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Primeiro-ministro português efectua visita de 48 horas à Guiné-Bissau

Primeiro-ministro português efectua visita de 48 horas à Guiné-Bissau

A Guiné-Bissau recebe este sábado 05 Março a visita primeiro-ministro português, António Costa, que permanecerá no país 48 horas. Segundo…
Angola: Isabel dos Santos acusada de ataques informáticos contra imprensa portuguesa

Angola: Isabel dos Santos acusada de ataques informáticos contra imprensa portuguesa

A empresária angolana Isabel dos Santos, filha do ex-Presidente da República José Eduardo dos Santos, está a ser acusada em…
Ucrânia: Conflito causa mais de meio milhão de crianças refugiadas

Ucrânia: Conflito causa mais de meio milhão de crianças refugiadas

A UNICEF avança, através de um comunicado de imprensa, que o conflito na Ucrânia já causou em uma semana mais…
Ataque da Rússia a central nuclear faz cair bolsas europeias

Ataque da Rússia a central nuclear faz cair bolsas europeias

As principais bolsas europeias estiveram a negociar nesta sexta-feira, 04 de março, em forte baixa. O motivo deve-se ao ataque…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin