Moçambique: Nyusi diz que está nas mãos do país acabar com o terrorismo

O chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, considera que está nas mãos de todos os moçambicanos encontrar uma solução duradoura do combate ao terrorismo na província de Cabo Delgado

De acordo com o “Notícias Online”, a observação do governante foi feita durante o discurso realizado após ter recebido a saudação dos titulares dos órgãos de administração da justiça, por ocasião do Dia da Legalidade. 

Para Nyusi, em vez de “discutir palavras” é necessário haver concentração coletiva para a construção da sustentabilidade das ações em curso para a longa batalha que o país irá enfrentar nesse processo. 

“Vamos pensar nas soluções e não no questionamento de palavras que não protegem e nem defendem os cidadãos, que veem a sua vida ameaçada”, defendeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin