Moçambique: Nyusi inaugura refinaria de açúcar branco e reduz importação do produto

O Presidente da República de Moçambique inaugurou esta quinta-feira, 29 de novembro, a refinaria de açúcar branco da Açucareira de Xinavane, na província meridional de Maputo, o que pode reduzir, ou até mesmo acabar, com a importação deste tipo de produto. A empresa Tongaat Hullet investiu dois mil milhões de meticais neste empreendimento, que, durante a fase de construção, criou cerca de 605 postos de trabalho.

A refinaria, instalada com base numa tecnologia de ponta, tem uma capacidade de produção anual de 90 mil toneladas de açúcar branco refinado e pronto para alimentar indústrias nacionais e internacionais que usam o produto em várias linhas de produção. As estimativas apontam que Moçambique consome atualmente acima de 70 mil toneladas anuais de açúcar branco, importando cerca de 90% do açúcar branco, uma vez que só consegue produzir 20 mil toneladas. Este cenário de dependência quase total do exterior para satisfazer o mercado poderá inverter-se nos próximos sete a dez anos, com a abertura da nova refinaria.

Após a inauguração, Filipe Nyusi falou num comício popular na Vila de Xinavane e disse considerar a ocasião de extrema importância para o país, tendo avaliado o contributo que a nova infraestrutura vai trazer na dinamização da economia moçambicana e o impacto na vida das populações, principalmente na dos pequenos produtores da cana de açúcar dos distritos da Manhiça e Magude, que verão ampliadas as oportunidades de negócio.

“A implantação desta refinaria de topo de gama nesta vila de Xinavane, seguramente, vai criar uma nova dinâmica na nossa economia. Com a produção do açúcar branco refinado em Moçambique, o país vai poupar divisas para importar este tipo de produto, como fazia antes. Neste momento, as empresas moçambicanas que utilizam este produto passam a ter o açúcar branco refinado em Moçambique”, declarou, tendo acrescentado que “a refinaria que a empresa Tongaat Hulett montou vai também dinamizar o setor agrário, que passa a ter uma janela de colocação do seu produto. Estou a falar da colocação da cana de açúcar a um preço competitivo e, por via disso, melhorar as suas vidas dos seus trabalhadores e a vida das suas famílias”.

O Chefe de Estado afirmou ainda que a implantação da refinaria demonstra que a política da empresa Tongaat Hulett está devidamente alinhada com o Programa Quinquenal do Governo, que consiste em investir para o desenvolvimento para aumentar a base de produção e elevar os níveis de qualidade em diversos produtos processados no país. “O Programa Quinquenal do governo aponta para um maior investimento em áreas estratégicas de desenvolvimento e a Açucareira de Xinavane está num bom caminho nesse aspeto, assumindo que a agricultura e a indústria são setores chave da nossa economia”, salientou.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

O Governo guineense através do Decreto nº 1/2023 de 19 de Janeiro determinou que 23 de Janeiro, outrora dia dos…
Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

O Movimento Nacional para Recuperação da Unidade Moçambicana (MONARUMO) comentou a recente diminuição do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA),…
Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

O chefe de Estado angolano, João Lourenço, assumiu o compromisso de o país usar 77% de energia renovável até 2027. …
Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

O turismo e privatizações em Cabo Verde decidiram financiar o fundo MAIS, definido pelo Governo e criado com o objetivo…