Moçambique: Nyusi lança novo uniforme da PRM no valor de 466 milhões de meticais

O Presidente da República de Moçambique dirigiu esta terça-feira, 04 de dezembro, a Cerimónia de Encerramento do XXXVIII Curso Básico da Polícia da República de Moçambique (PRM), realizada na Escola Prática da Polícia de Matala, distrito de Marracuene, província de Maputo. Nessa ocasião foi também lançado o novo uniforme da PRM.

As novas fardas das autoridades, que passaram de cinzentas a azuis, significam purificação da atuação das mesmas e devem representar o renascer de uma corporação, de acordo com o Chefe de Estado e Comandante em Chefe das Forças da Lei e Ordem, que disse no evento que a polícia deveria tornar-se cada vez mais próxima dos cidadãos e dos seus anseios.

Filipe Nyusi deixou o aviso de que o traje não terá nenhum valor se for usado pelos agentes da PRM para extorquir o cidadão, que “ao ver o policial deve encontrar o sossego e a paz”, e desafiou os recém-graduados a combaterem a criminalidade e os acidentes de viação. O governante declarou que nas estatísticas da corrupção em Moçambique encontra-se “o polícia com o expoente que agrava os indicadores”.

De acordo com o jornal “@Verdade”, esta transformação da PRM custou ao Estado cerca de 466.235.080 de meticais (6.640.520 euros), uma verba repartida entre o Orçamento de Estado de 2018 e de 2019. O custo dos uniformes é assim alegadamente superior a toda a verba prevista para as despesas de investimentos durante o próximo ano na província do Niassa, que corresponde a 300,4 milhões (4.278.560 euros), ou para a província de Manica, 397,1 milhões (5.655.840 euros), ou ainda para a província de Inhambane, no valor de 310 milhões de meticais (4.415.290 euros).

Em relação ao referido Curso Básico da PRM, este consiste na matéria de ordem, segurança e tranquilidade públicas. Recorde-se que a PRM foi criada pela Lei nº 19/92, de 31 de Dezembro, sendo uma força paramilitar integrada no Ministério do Interior de Moçambique após a extinção da Polícia Popular de Moçambique (PPM).

A formação de agentes da polícia moçambicana é assegurada por três estabelecimentos de ensino. Um deles é a Academia de Ciências Policiais (ACIPOL) em Michafutene, no distrito de Marracuene, para a formação de oficiais e quadros superiores, conferindo graus de licenciatura e mestrado em ciências policiais. Os restantes estabelecimentos são a Escola de Sargentos da Polícia (ESAPOL), localizada no distrito de Nhamatanda e que forma sargentos, e também a Escola Prática de Matalana, no distrito de Marracuene, que trabalha para a formação inicial de guardas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Portugal pondera aumentar número de turmas para crianças ucranianas

Portugal pondera aumentar número de turmas para crianças ucranianas

O ministro da Educação em Portugal, Tiago Brandão Rodrigues, reafirmou nesta sexta-feira, 11 de março, que as escolas portuguesas estão preparadas…
EUA banem Rússia do regime normal de comércio internacional

EUA banem Rússia do regime normal de comércio internacional

Os Estados Unidos da América (EUA) e os aliados decidiram excluir a Rússia do regime recíproco normal que rege o…
Rússia: Putin fala em "desenvolvimentos positivos" com a Ucrânia

Rússia: Putin fala em "desenvolvimentos positivos" com a Ucrânia

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que houve “certos desenvolvimentos positivos” nas conversações com a Ucrânia realizadas nesta sexta-feira,…
Guiné-Bissau: Providência Cautelar provoca novo adiamento do Congresso do PAIGC

Guiné-Bissau: Providência Cautelar provoca novo adiamento do Congresso do PAIGC

O Xº Congresso do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) que deveria decorrer de 10 a…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin