Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi

Moçambique: Nyusi participa na cimeira extraordinária da SADC

O chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, participa entre esta terça e quarta-feira, dias 11 e 12 de janeiro, na cimeira extraordinária da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla inglesa). O evento decorre em Lilongwe, no Malawi.

Segundo um comunicado da Presidência da República de Moçambique, enviado ao jornal “O País”, a cimeira é antecedida pela Reunião da Troika do Órgão de Cooperação nas áreas da política, defesa e segurança, alargada a Moçambique e países contribuintes com pessoal na Missão da SADC (SAMIM). 

A cimeira de Lilongwe visa analisar os progressos registados pela SAMIM no apoio a Moçambique, no que diz respeito à luta contra o terrorismo que afeta a província de Cabo Delgado. 

Serão também estudados os passos seguintes para fortalecer as operações, de maneira a eliminar as invasões terroristas e o extremismo violento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin