Moçambique: Nyusi pressionado a decidir sobre auxílio da SADC

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, vai reunir-se ainda neste mês de maio com o chefe de Estado da África do Sul, Cyril Ramaphosa, e outros líderes regionais para dizer se aceita ou não uma intervenção militar da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla inglesa) na província moçambicana de Cabo Delgado, com o objetivo de enfrentar a crescente insurgência islâmica. 

Peritos militares da SADC já elaboraram em abril um plano para uma força da SADC de quase 3.000 soldados, armados com helicópteros e navios de guerra, para derrotar e desalojar a insurgência afiliada ao Estado Islâmico. 

Os presidentes da troika do órgão de segurança da SADC, composta pelo Botsuana, África do Sul e Zimbabué, deviam ter tido um encontro com Nyusi numa cimeira em Maputo a 29 de abril para analisarem o plano de intervenção. No entanto, essa reunião acabou por ser adiada indefinidamente. 

O motivo ter-se-á devido ao facto de Ramaphosa se ter, nessa altura, apresentando perante a Comissão Zondo e o presidente do Botsuana, Mokgweetsi Masisi, ter sido colocado em quarentena devido à Covid-19. 

Nesta semana, Ramaphosa encontrou-se com Nyusi à margem da cúpula do Presidente francês, Emmanuel Macron, em Paris sobre o refinanciamento das economias africanas. Ambos propuseram uma data para a cimeira adiada da troika do órgão de segurança da SADC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assinou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, o pedido formal de adesão à União Europeia…
Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

O Governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que morreram 11 pessoas e centenas ficaram feridas durante um ataque russo…
Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

A maioria dos angolanos que viviam em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, decidiu abandonar o local no sábado, 26…
Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin