Moçambique: Oposição culpa Nyusi pela violência em Cabo Delgado

Filipe Nyusi Ossufo Momade Renamo Moçambique

A Renamo acusa o chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, de ser pessoalmente “responsável por omissão” pela violência armada na província de Cabo Delgado.

“Quanto a nós, não restam dúvidas de que o Presidente da República deve ser responsabilizado por omissão, por não ter tomado em tempo útil a decisão de recorrer à ajuda internacional”, disse o deputado Elias Dhlakama nesta quarta-feira, 16 de novembro, no Parlamento, citado pela “DW”.

O representante do maior partido da oposição no país acusou Nyusi de ter optado por “arrastar com a barriga” a decisão sobre o recurso ao auxílio internacional, tendo tomado a mesma apenas quando a situação saiu do controlo das forças governamentais.

“O Governo permitiu que parte do território de Moçambique ficasse fora das mãos do Estado”, criticou, realçando que a situação revelou “o cúmulo da incompetência”.

Também a bancada parlamentar do MDM acusou o Governo de incapacidade no combate ao terrorismo.

“O povo de Cabo Delgado está exausto, não tolera mais o sofrimento” causado por “um quadro de desconcerto e caos ao nível da política de defesa”, declarou o deputado Silvério Ronguane.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

O Governo japonês disponibilizou cerca de 170 mil dólares a Moçambique para a aquisição de cinco viaturas destinadas ao Serviço…
Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

A vice-governadora provincial para o setor Político, Social e Económico de Benguela, Lídia Amaro, afirmou que 593 ex-militares foram reintegrados…
Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

O Banco Mundial prevê que Timor-Leste registe um crescimento económico de 4,1% em 2024 e 2025, através do alívio das…
UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

A União Europeia (UE) anunciou o envio da próxima parcela de 50 milhões de euros para a Agência das Nações…