Moçambique: Plataforma Flutuante para produção de gás já está na Bacia do Rovuma em Cabo Delgado

A Plataforma flutuante de produção de gás natural liquefeito já está na Bacia do Rovuma desde as primeiras horas desta segunda-feira, 3 de Janeiro, espera-se que seja atracada no local de produção ainda esta semana, segundo fontes próximas ao projecto.

A plataforma chegou mais cedo do que se previa. A plataforma flutuante chegou ontem, às águas da Bacia do Rovuma em Cabo Delgado, quando se esperava que fosse apenas a 16 de Janeiro, 60 dias depois da sua partida da Coreia do Sul, a 16 de Novembro de 2021.

O tempo esteve mais tranquilo do que o que se tinha sido previsto e isso facilitou que os três rebocadores fizessem o transporte da plataforma em menos tempo. A última paragem para abastecimento foi nas Maurícias, na semana passada. A chegada da plataforma tem impacto nas previsões de início da produção de gás natural na área 4 da Bacia do Rovuma.

Daqui, o passo a seguir é o encaixe dos cabos dos poços já feitos e concluídos antes mesmo da partida da plataforma. No meio desse processo, deverão ser tratados também processos burocráticos da infra-estrutura, depois o gás começará a ser produzido naquela que é uma das maiores plataformas flutuantes do mundo e a mais moderna até aqui.

Espera-se que até Junho a plataforma esteja estabilizada na área de exploração por amarração a 20 cabos principais, implantados a 2000 metros de profundidade, mas pode ser muito antes disso. Será ancorada a 50 quilómetros da costa de Cabo Delgado, onde vai produzir 3.4 milhões de toneladas de gás natural, anualmente, já a partir deste ano.

Com o arranque da exploração, Moçambique deverá encaixar, em receitas para o Estado, 34.5 milhões de dólares, sendo que, quando se atingir o auge da arrecadação, o Estado poderá encaixar mais de 110 milhões anualmente.

Quando começar a produção normal, 270 pessoas deverão permanecer na plataforma por 28 dias e, depois disso, saem para dar espaço a um outro grupo. Porém, o navio-fábrica tem a capacidade de albergar 350 pessoas.

No total, a exploração de gás na parte OffShore da área 4 da Bacia do Rovuma vai empregar 800 pessoas, entre aquelas que ficarão directamente ligadas à produção e os trabalhadores dos escritórios em Pemba e Maputo.

Aurelio Sambo – Correspondente

2 Comments

  1. Ramos Valente Sitoe

    Estamos todos felizes por mais um passo tao importante que e a chegada de plataforma flutuante para estracao do gas em Mocambique na bacia do rio Rovuma no Norte Mocambique e de Cabo Delgado. Espero eu que isso nao venha instar cada vez mais os terroristas e seus colaboradores ou aqueles que se contentam com o desmoronamento da nossa economia , destruicao e matanca de inocentes que nem sabem o que e isso de politica para nao se viver em paz em Mocambique.

  2. fanito

    A chegada da plataforma nao vai ter bom efeitos porque o presidente nyusi nao foi a pessao que pagou o projecto ele encontrou tudo paga so ele passou a receber, percebem bem quem pagou e negocio todo o projecto neste momento vai reforcar os torroristas para bloqueiar a vida da plataforma o seu funcionamento, os Mocambicanos conhecem bem, o presidente nyusi por ser do norte ha pessoas que nao gosta e cria meios de ser desacretidado que ele e incompedente, se ele nao ter um bom conselheiro para dar uma ideia forcado de entregar o puder havemos ver mais um terramamento de sangue dos nossos irmao que nao sabe oque esta passar e nao tem nada haver com esta coisa de petroleo, estamos a morrer quem come e outro perdemos mulheres homens irmaos netos e mais familiares coisa que o povo nao sabe.
    MELHOR ENTREGAR OS QUE CRIARAM O PROJECTO E DEIXAR O POVO EM PAZ COMER OQUE COMIAM ANTES QUE MATAREM SEM SABER OQUE SE PASSA. POR FAVOR E GRANDE FAVOR O PETROLEO QUE VAI SAIR NAS AGUAS DE PEMBA O POVO NAO VAI BENEFICIAR EM NADA OS TERRORISTAS DEIXA DE MATAR ESTE POVO MOCAMBICANO NOS NAO SOBEMOS QUE E EXPLORACAO DE GAZ NATURAL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin