Moçambique: Primeiro-ministro comenta Plano de Reconstrução de Cabo Delgado

O primeiro-ministro moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário, declarou que o Plano de Reconstrução de Cabo Delgado, aprovado pelo Conselho de Ministros, visa acabar com a dispersão de ações. 

A afirmação foi feita nesta quarta-feira, 06 de outubro, na cidade de Pemba, localizada na província de Cabo Delgado. O governante acrescentou que o plano em questão está avaliado em cerca de 19 mil milhões de meticais (aproximadamente 255 milhões de euros), sendo destinado à reposição de infraestruturas sociais básicas na província afetada por frequentes invasões de grupos armados desde outubro de 2017. 

“A ADIN [Agência do Desenvolvimento Integrado do Norte] também está a fazer o seu trabalho, os nossos parceiros também. Mas verificamos que estávamos com muita dispersão de documentos e de ações. Neste momento já não existe documento da ADIN, dos parceiros, da equipa multidisciplinar que mandamos para cá. Existe um só documento que reflete toda esta aglutinação do que deve ser feito para a reconstrução e que chamamos Plano de Reconstrução de Cabo Delgado”, explicou. 

Agostinho do Rosário disse ainda que o plano serve igualmente para responder às necessidades da população que tende a voltar às zonas de origem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin