Moçambique: PRM diz que desaconselhou os membros da RENAMO a marchar em Angoche

Em justificativa à morte e ferimentos de cidadãos no município de Angoche, na província de Nampula, a Polícia da República de Moçambique, alegou que, antes dos seus agentes disparar balas reais contra membros da RENAMO, o Comandante Distrital tinha desaconselhado a não manifestação, por alegadamente ser ilegal.

O porta-voz da PRM em Nampula, Zacarias Nacute, justificou ainda que a reação dos agentes resultou de falta de bom senso do delegado da RENAMO e do chefe da campanha eleitoral, que não impediram os seus membros o arregaço de pedras contra a polícia e suposta tentativa de invasão do edifício do governo distrital.

“O processo decorreu de forma tranquila, e com a devida proteção dos membros da PRM, no entanto na autarquia de Angoche, os membros e simpatizantes do partido RENAMO, desobedeceram os preceitos legais, que norteiam a realização de qualquer tipo de manifestação iniciando actos de violência portando objetos contundentes entre outras ilegalidade. A Polícia da República de Moçambique na pessoa do Comandante Distrital, aproximou o delegado distrital da RENAMO, bem como o chefe de campanha, para chamá-lo ao bom senso mas sem sucesso, estes como resposta arregaçaram pedras contra a polícia da república de Moçambique, tentaram invadir o edifício onde funciona o governo, entre outras ilegalidades que ocorreram que ocorreram no local, a polícia teve que intervir em resposta a este acto de reposição da ordem pública”.

Zacarias Nacute, confirmou o baleamento de apenas quatro (4) membros da RENAMO, contrariando a versão dada pelas outras fontes que confirmaram ter sido atingida mortalidade uma mulher e feridos grave e ligeiramente outras Oito (8) pessoas.

A Polícia da República de Moçambique reitera o apelo de a RENAMO e a população de Nampula a não vandalizarem e sobretudo a fazerem manifestações observando os princípios legais.

“Com isso queremos apelar o partido RENAMO, a não incentivar a população ao cometimento de actos de violência, a não incitar a população a desobedecer os preceitos legais que norteiam boa convivência no nosso território nacional assim como queremos reiterar o nosso apelo a toda população, das oito autarquias da província de Nampula a distanciarem-se à estes actos de violência, de qualquer situação que possa por em causa a ordem e segurança pública, a manifestação é sim um direito de todo cidadão, no entanto, para a realização destas manifestações há necessidade de observar todas as normas elementares para que tal aconteça existe uma lei”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique: Nyusi incentiva empresários sul-coreanos a retomarem investimentos em Cabo Delgado

Moçambique: Nyusi incentiva empresários sul-coreanos a retomarem investimentos em Cabo Delgado

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, está a aproveitar a sua estadia na Coreia do Sul para incentivar…
Angola: Aprovada Estratégia Nacional de Prevenção e Repressão da Corrupção

Angola: Aprovada Estratégia Nacional de Prevenção e Repressão da Corrupção

O Governo angolano aprovou a Estratégia Nacional de Prevenção e Repressão da Corrupção nesta segunda-feira, 03 de junho.  Trata-se de…
Guiné-Bissau: Julgamento dos detidos do ‘Caso 1 de Fevereiro’ adiado por incoerências do Tribunal

Guiné-Bissau: Julgamento dos detidos do ‘Caso 1 de Fevereiro’ adiado por incoerências do Tribunal

O julgamento do suposto golpe de Estado de 1 de Fevereiro de 2022 foi adiado. O Tribunal decidiu suspender a…
Netanyahu e Biden trabalham em conjunto num acordo para os reféns

Netanyahu e Biden trabalham em conjunto num acordo para os reféns

O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, John Kirby, avançou que o Presidente dos Estados Unidos da…