Líder da Renamo, Ossufo Momade

Moçambique: Renamo boicotou debate sobre Direitos Humanos

A Renamo decidiu abandonar a sessão onde foi analisado o relatório parlamentar sobre a violação de Direitos Humanos em Cabo Delgado, Manica e Sofala. Esta terá sido uma forma de protesto contra a não aceitação pela Comissão Permanente do Parlamento de uma proposta para uma comissão mais profunda. 

Após recusar-se a fazer parte da equipa que visitou as zonas de tensão e que averiguou a situação, o maior partido da oposição em Moçambique declarou que não fazia sentido participar da análise de um relatório que classifica de fraudulento e que necessitava de ser coerente. 

Esse documento foi elaborado pela 1ª Comissão. De acordo com o presidente da comissão que trabalhou na recolha de dados, António Boeneexiste violação de direitos fundamentais, sendo os principais responsáveis por isso os grupos terroristas e a autoproclamada Junta Militar da Renamo. 

A comissão expôs que as violações aos Direitos Humanos não se devem à atuação das Forças de Defesa e Segurança (FDS)apesar de ter admitido alguns excessos por parte das autoridades. Tendo em conta as diversas conclusões do que viu no terreno, fez várias recomendações ao Governo, uma das quais trata-se da necessidade de dar mais meios às FDS. 

O relatório vai ser então submetido ao Governo e à Procuradoria-Geral da República, para os devidos efeitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

UE sofre mais custos energéticos com sanções à Rússia

UE sofre mais custos energéticos com sanções à Rússia

A Comissão Europeia assumiu nesta quarta-feira, 02 de março, que as sanções da União Europeia (UE) à Rússia vão ter “custos…
EUA querem Rússia fora do Conselho dos Direitos Humanos

EUA querem Rússia fora do Conselho dos Direitos Humanos

Os Estados Unidos da América (EUA) sugerem que a Rússia seja excluída do Conselho dos Direitos Humanos. A proposta foi…
Rússia diz que guerra na Ucrânia não afeta relações com Moçambique

Rússia diz que guerra na Ucrânia não afeta relações com Moçambique

O ministro conselheiro da Rússia em Moçambique, Dimitri Sorokin, garantiu que a guerra na Ucrânia não afeta as relações de…
Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Igor Mazepa Baran tem 57 anos de idade e vive na cidade de Curitiba, no Brasil. É brasileiro com descendência…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin