Moçambique retoma julgamento das “dívidas ocultas” a 17 de janeiro

O julgamento das “dívidas ocultas” vai ser retomado a 17 de janeiro, indica a “Folha de Maputo”. A data foi marcada pelo juiz Efigénio Baptista, através de um despacho que altera a data inicial, onde estava prevista a retoma da audição de declarantes a 06 de janeiro.

Recorde-se que o julgamento foi interrompido a 13 de dezembro para o cumprimento da quarentena obrigatória de 14 dias, devido ao registo de casos positivos de Covid-19.

Apesar de a notificação não mencionar os motivos do adiamento do retorno do julgamento no dia 06, especula-se que o motivo está relacionado com a precaução relativa à Covid-19. Isto porque Moçambique tem registado números recordes de casos positivos de Covid-19, por causa da variante Ómicron.

A audição vai ser retomada com o declarante Zulficar Ahmad.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin