Moçambique: SAMIM continua em Cabo Delgado até janeiro de 2022

A Troika do Órgão da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla inglesa) para Cooperação nas Áreas de Política e Defesa reuniu-se nesta terça-feira, 05 de outubro, para avaliar o decurso da missão militar dos países da África Austral no combate ao terrorismo na província moçambicana de Cabo Delgado

Durante a cimeira realizada em Pretória, capital sul-africana, os presentes concluíram que a missão deve ser estendida até janeiro de 2022. Recorde-se que a mesma tinha sido aprovada para um período de apenas três meses, o que faria com que acabasse neste mês de outubro. 

Foi a África do Sul que convocou este encontro, uma vez que dirige, atualmente, a Troika. No local estiveram presentes os Chefes de Estado e de Governo de Moçambique, como convidado e anfitrião da missão militar e humanitária, e ainda os de Namíbia e do Botsuana que são vice-presidentes. 

Antes de ter sido tomada a decisão de estender o prazo da missão militar em Cabo Delgado foi analisado o relatório de progresso da missão, de acordo com a declaração do Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, à saída do evento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin