Moçambique: Setor empresarial de Cabo Delgado responde à procura de infraestuturas da região

O sector empresarial de Cabo Delgado está a trabalhar para responder à procura de infraestruturas dos empresários vindouros para quando a plataforma flutuante de exploração de gás na área 4 na bacia do Rovuma começar a operar.

A garantia, foi dada na cidade de Pemba, pelo Presidente da Confederação das Associações das Actividades Económicas- CTA, Mamudo Irache, em conferência de imprensa.

Estamos a trabalhar para montarmos infraestruturas para arrendar aos empresários que virão fazer negócio com a chegada da plataforma flutuante” disse, acrescentando que os empresários locais têm de aproveitar as oportunidades.

A plataforma flutuante de exploração de gás natural liquefeito chegou a Cabo Delgado na semana passada. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin