“Portugal mantém-se como principal destino de brasileiros”, defende António Fiuza

Portugal continua a estar na moda. Brasileiros enxergam este país europeu como principal local para investimento e porta de entrada para a União Europeia. De acordo com o presidente da Câmara Portuguesa do Comércio e Indústria do Rio de Janeiro, Antônio Fiuza, o fluxo de brasileiros e lusodescendentes irá se manter em alta e o papel da Câmara é estreitar as relações para facilitar os caminhos.

“A Câmara Portuguesa é constituída por associados portugueses, brasileiros e lusodescendentes. É, de facto um momento importante para estreitar laços entre Brasil e Portugal. É um fluxo crescente e continuado de investimento de brasileiros e outros lusodescendentes em Portugal, que continua na moda. Portugal é um país muito atrativo para investimentos, não só o país em si mas também, como porta de entrada para a União Europeia e para outros países de língua portuguesa. Portanto, continuo a acreditar que este fluxo continuará a existir e será importante para a economia portuguesa”, afirmou Fiuza.

Este responsável também destacou que o trabalho de atuação da Câmara do Comércio que preside, em Portugal, também deve o seu sucesso aos trabalhos desenvolvidos anteriormente desde os seus fundadores. Segundo Fiuza, “a ligação entre Brasil e Portugal é de suma importância para a economia portuguesa e o sucesso dessa cooperação deve-se ao trabalho executado há 111 anos por líderes da diáspora que valorizam a integração entre os países e a memória dos hábitos culturais”.

“Acho que o segredo foi todas as direções terem honrado o compromisso e o legado dos seus fundadores. Agradeço sempre por aqueles que nos antecederam e conseguiram que, em 111 anos, a Câmara se firmasse, fizesse história, promovesse a relação entre Brasil e Portugal e fizesse com que as coisas acontecessem. Portanto, se estamos onde estamos, uma instituição sólida, sustentável, é porque esse passado e essa memória têm que ser honrada sempre no trabalho diário, porque é algo muito importante”, finalizou António Fiuza.

Ígor Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Cabo Verde alvo de interesse por parte de empresários angolanos

Cabo Verde alvo de interesse por parte de empresários angolanos

Cabo Verde recebeu uma delegação empresarial angolana que manifestou o seu interesse em investir no arquipélago. A deslocação teve como…
Angola: Governo quer mais investimento no setor privado até 2050

Angola: Governo quer mais investimento no setor privado até 2050

O secretário de Estado para o Planeamento de Angola, Milton Reis, informou que o Governo quer alcançar um maior investimento no…
Cabo Verde: Fundo Soberano tem 100 milhões de euros para investimentos nacionais

Cabo Verde: Fundo Soberano tem 100 milhões de euros para investimentos nacionais

O Fundo Soberano de Garantia do Investimento Privado (FSGIP) de Cabo Verde tem 100 milhões de euros disponíveis para servir de…
Moçambique: Governo vai passar a controlar preços no país

Moçambique: Governo vai passar a controlar preços no país

O Governo moçambicano informou que vai passar a determinar e a controlar, a partir das próximas duas ou três semanas,…