Angola | Portugal

Angola: Regularização dos pagamentos em atraso às empresas portuguesas anunciado para setembro

Eurico Brilhante Dias, secretário de Estado da Internacionalização de Portugal, declarou ontem, após a sua deslocação nos dias 10 e 11 do corrente à 4ª Edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA), que manteve encontros com o executivo liderado por João Lourenço, com elementos do Banco Nacional de Angola (BNA), bem como empresários portugueses no país.  

Das reuniões, Brilhante Dias referiu as preocupações dos empresários portugueses face aos “atrasos nos pagamentos e transferência de divisas e salários para o exterior” de Angola, devido à crise económica que o país atravessa desde 2014.  

O secretário de Estado da Internacionalização português mencionou que: “As empresas portuguesas têm legitimamente a vontade, a necessidade e a expectativa de receber uma parte substantiva daquilo que foi a sua emissão de factura. Agora, compreendemos que cada caso é um caso e nós não vamos impor, e muito menos estaremos a ir para além das nossas competências, uma solução única para todas as empresas. Umas aceitarão determinadas condições, outras não”.  

Os atrasos verificados serão na ordem das “centenas de milhões de euros”.  

Brilhante Dias sublinhou que o BNA fará um “acompanhamento personalizado de cada caso e empresa, bem como a proposta de um cronograma de regularização”.  

Em simultâneo, o secretário de Estado da Internacionalização de Portugal disse que está a decorrer um processo de certificação da dívida entre os ministérios sectoriais angolanos, responsáveis pela contratação das empresas portuguesas, e o Ministério das Finanças de Angola: “É um processo que, devo dizer, até excedeu as nossas perspectivas iniciais. O valor certificado já vai além do valor com que eu parti de Lisboa. Esperamos que nos próximos dois meses, e para futuro, esse processo possa ser acelerado e termos de facto uma certificação da larga maioria da dívida. Hoje, eu diria que estaremos entre 20 a 25% de certificação, e portanto temos um caminho a fazer e é esse caminho que as autoridades angolanas se propõem fazer com as empresas portuguesas”.  

Refira-se que, de acordo com o comunicado de imprensa do gabinete do secretário de Estado da Internacionalização português, em “2017, as exportações de bens e serviços para Angola totalizaram 2786 milhões de euros, representando uma subida de 298 milhões de euros face a 2016. No último ano, mais de 5 mil empresas portuguesas exportaram para o mercado angolano”.  

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo