Cônsul-geral de Portugal em Genebra garante que a comunidade portuguesa local tem um “bom nível de integração”

Bruno Paes Moreira é desde 2018 cônsul-geral de Portugal em Genebra e afirmou, recentemente, que a comunidade portuguesa na Suíça conta com “um bom nível de integração, por norma localmente apreciada e respeitada, tanto pela população em geral como pelas autoridades suíças”.

Este diplomata garante que os portugueses são uma “comunidade apreciada na Suíça. É o juízo que faço baseado no quanto me é transmitido pelos meus interlocutores suíços, assim como pelos meus compatriotas aqui residentes. E é também a perceção que resulta da minha observação direta, assente numa vivência de já perto de dois anos e meio neste país”, disse Bruno Moreira, que avaliou que a vida em Genebra “é muito aprazível.”

Sublinha ainda que Genebra “é uma cidade bonita, de dimensão humana e elevada qualidade de vida, embora bastante cara. Não há bela sem senão. E é naturalmente para mim motivo de orgulho residir e ser Cônsul-Geral numa cidade e numa área de jurisdição onde a comunidade portuguesa ocupa um lugar de destaque”.

Este responsável refere que, “na área consular de Genebra, que engloba os cantões de Genebra, Vaud e Valais, por sinal três cantões onde os portugueses são a primeira comunidade estrangeira, a população portuguesa residente supera as 120 mil pessoas. Este número, que decorre dos dados estatísticos suíços disponíveis sobre a matéria, não reflete, porém, o universo total de portugueses que efetivamente vive nos três cantões, na medida em que, como é natural, não incorpora os muitos portugueses cumulativamente detentores de nacionalidade suíça, em número crescente nos últimos anos”.

“É um belo país, onde eu e a minha família temos sido bem acolhidos e onde gostamos de viver”, finalizou Bruno Moreira.

Ígor Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin