Jornalista e escritor luso-brasileiro, Ígor Lopes apresenta livro “Açores em Cores” em Ponta Delgada

O jornalista e escritor luso-brasileiro, Ígor Lopes, vai lançar nos Açores o seu quarto livro-reportagem. “Açores em Cores – Belezas, Contornos e Potencialidades” leva o selo da editora “Present Celebration” e contou com o apoio do Governo açoriano, por meio da Direção Regional das Comunidades.

A apresentação vai decorrer amanhã, 14 de dezembro, pelas 18h30, no auditório da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada, com o apoio da Direção Regional das Comunidades e da Associação dos Imigrantes Brasileiros nos Açores (ASIBA). A obra vai ser apresentada pelo autor, pelo escritor Adélio Amaro e o currículo do autor será dado a conhecer por José Andrade, Diretor Regional das Comunidades. Uma tertúlia está também marcada para o dia 15 de dezembro na livraria “Letras Lavadas”, pelas 15h, em Ponta Delgada.

O objetivo central do livro, de acordo com o autor, é “revelar detalhes que brasileiros, lusodescendentes e açordescendentes devem conhecer sobre o Arquipélago”.

Ao longo de 226 páginas, recheadas de entrevistas e fotografias, Ígor Lopes leva o leitor a conhecer pontos específicos sobre as nove ilhas açorianas, deixando claro que os Açores são um bom lugar para viver, trabalhar, estudar ou, simplesmente, desfrutar de locais de tirar o fôlego.

O conteúdo está centrado no formato pergunta-resposta, onde especialistas em diversos segmentos nos Açores, no âmbito público e privado, falam sobre as oportunidades de investimento, os locais paradisíacos, a imponência da natureza, a importância da ecologia e da proteção ambiental, já que os Açores são um destino de turismo sustentável, a relevância da cultura, história, tradição e religiosidade, os registos da arquitetura e património locais, o papel do turismo e da promoção da imagem das ilhas, as experiências e atividades possíveis, o infinito azul do rico mar que banha as costas açorianas, a imensa comunidade açordescendente, o poder dos vinhos e da gastronomia locais, o olhar de quem chega às ilhas pelos ares, os vulcões e a sismologia tão estudados, a vida universitária, a força e a necessidade de se apostar nas vertentes tecnológica e na inovação, a segurança pública, a saúde, a organização política açoriana e as sinergias entre os habitantes locais e a comunidade de cidadãos estrangeiros residentes, incluindo os brasileiros.

Importa ressaltar que o livro “Açores em Cores” foi impresso em 2019, em Portugal, e que, em decorrência da situação pandémica mundial, só agora o autor tem a oportunidade de levar a obra a público, com as devidas restrições impostas pelas autoridades.

Participações ilustres

O prefácio do livro é de Adélio Amaro, escritor e presidente do Centro do Património da Estremadura. O posfácio é assinado por Beatriz H. Ramos Amaral, escritora e Mestre em Literatura e Crítica Literária. Ricardo Alexandre, diretor-adjunto da TSF Rádio Notícias, de Portugal, escreveu sobre Ígor Lopes.

Presidentes de algumas “Casas dos Açores” entre Brasil e Portugal contam com depoimentos na obra.

Sucesso no Brasil

A obra já foi lançada no Brasil, nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, onde reuniu um grande público. No Rio (13 e 14/10), houve dois eventos, ambos nas instalações da Casa dos Açores do Rio de Janeiro. No dia 13/10, o livro foi apresentado pelo autor e pela fadista portuguesa Maria Alcina; e, no dia seguinte, 14/10, o livro foi apresentado pelo autor e por João de Deus, Cônsul-Adjunto de Portugal no Rio de Janeiro. Nesse mesmo dia, autoridades portuguesas estiveram presentes, como a Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Sales, o Embaixador de Portugal no Brasil, Luís Faro Ramos, o Cônsul-Geral de Portugal no Rio, Luís Gaspar da Silva, além de autoridades brasileiras de diferentes esferas.

Em São Paulo, o lançamento aconteceu na Casa dos Açores de São Paulo, no dia 15/10, e na Casa de Portugal de São Paulo, no dia 16/10, com a obra sendo apresentada nesses dois momentos pelo autor e pelo deputado luso-brasileiro Paulo Porto, que atua na Assembleia da República de Portugal após ser eleito pela imigração pelo círculo de Fora da Europa.

No dia 21/10, a Câmara Portuguesa de Minas Gerais apoiou o lançamento do livro em Belo Horizonte, que foi apresentado por Carlos Lopes, presidente da referida Câmara.

A obra foi também apresentada no último dia 5 de dezembro, no Fundão, Portugal, durante evento da Câmara do Comércio da Região das Beiras, com a presença do presidente da Câmara Municipal do Fundão, Paulo Fernandes, e do Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres. Em 2020, o livro contou com pré-lançamento em Lisboa, com o apoio da “Rede Sem Fronteiras”, durante a Feira do Livro de Lisboa.

Onde comprar?

A obra está a venda através das redes sociais do autor ou por encomenda direta via e-mail: igorpereiralopes@gmail.com com entrega em todo o mundo.

Quem é Ígor Lopes?

Ígor Lopes é jornalista, escritor e social media entre Brasil e Portugal. É CEO da Agência Incomparáveis, que “defende a comunidade luso-brasileira”. É Doutorando em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior; Mestre em Comunicação e Jornalismo pela Universidade de Coimbra; Licenciado em Comunicação Social, na vertente Jornalismo, no Rio de Janeiro, pela FACHA; Possui especialização em Gestão de Redes Sociais e Comunidades para Jornalistas pela Universidade de Guadalajara, México. Os seus cursos superiores estão reconhecidos e validados pela Universidade Nova de Lisboa e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Atua para agências de notícias e meios de comunicação onde há Diáspora portuguesa e comunidade luso-brasileira. É responsável pelo conteúdo do Gazeta Lusófona, da Suíça, e pela agência e-Global, de Lisboa. Trabalha na aproximação entre Brasil e Portugal em vários níveis e é responsável pelo Departamento de Migrações, Integração, Cidadania e Impacto Social da Associação de Socorros Mútuos Mutualista Covilhanense, em Portugal, onde desempenha funções também de Coordenador no “Balcão do Migrante”, que presta apoio a esse público, e na “Casa Moura”, projeto de ajuda humanitária que acolhe jovens menores desacompanhados, fruto de um compromisso assumido pelo Estado Português junto da União Europeia.

É autor dos livros-reportagem “Maria Alcina, a força infinita do Fado” (2016), “Casa do Distrito de Viseu: 50 anos de dedicação à cultura portuguesa no Rio de Janeiro” (2016) e “Rancho Folclórico Maria da Fonte da Casa do Minho do Rio de Janeiro – A jornada do grupo português que valoriza a cultura minhota no Brasil desde 1954” (2019). Mais recentemente, escreveu um quinto livro, ainda sem data para lançamento: “Festas d’Agonia – Viana do Castelo – Para Brasileiros e Lusodescendentes” (2021).

Recebeu das mãos do presidente da Sociedade Brasileira de Heráldica e Humanística, Dom Galdino Cocchiaro, no dia 15 de outubro, a “Comenda da Ordem Nacional do Mérito do Empreendedor Visconde de Mauá”, título oficializado como “Honraria Oficial do Município de Mauá” e pelo Governo da República do Brasil, através do Ministério da Educação e Cultura, com o apoio da Secretaria de Estado da Justiça e Defesa da Cidadania do Governo de São Paulo. Nesta mesma oportunidade, o escritor foi ainda empossado como “Chanceler”, com atuação internacional, “tendo como objetivo central atuar na aproximação entre Brasil e Portugal”.

É membro da Academia de Letras de Teófilo Otoni (ALTO), da Eco Academia de Letras, Ciências e Artes de Terezópolis de Goiás (E-ALCAT), da Academia de Letras e Artes de Paranapuã (ALAP), da Academia Luso-Brasileira de Letras (ALBL) e da Academia de Letras e Artes da Guiné-Bissau (ALAB). Foi condecorado no Brasil e em Portugal com medalhas, diplomas e comendas por diversas instituições.

É importante ressaltar que em todos os eventos os procedimentos relativos aos cuidados com a pandemia de Covid-19 estão a ser exaustivamente levados em conta pelas entidades promotoras. A segurança de todos é uma prioridade.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Angola: João Lourenço diz que SADC é “um bom exemplo” dos processos eleitorais livres e transparentes

Angola: João Lourenço diz que SADC é “um bom exemplo” dos processos eleitorais livres e transparentes

João Lourenço, que é Presidente em exercício da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla em inglês), defendeu…
Revista de Imprensa Lusófona de 27 de maio de 2024

Revista de Imprensa Lusófona de 27 de maio de 2024

No Brasil o portal de notícias “globo.com” refere que “Tragédia no RS é usada para golpes de anúncios falsos e…
Discurso do Líder do Hezbollah no rescaldo da morte do Presidente do Irão

Discurso do Líder do Hezbollah no rescaldo da morte do Presidente do Irão

Sayyed Hassan Nasrallah, o Secretário-Geral do Hezbollah, deu um discurso aos seus apoiantes, na passada sexta-feira, com críticas e ameaças…
Recorde mínimo de gelo marinho na Antártida seria “extremamente improvável” sem alterações climáticas

Recorde mínimo de gelo marinho na Antártida seria “extremamente improvável” sem alterações climáticas

Um grupo de cientistas do British Antarctic Survey descobriu que os níveis recorde de gelo marinho, na Antártida, em 2023,…