Pernil de Porco causa indisposição diplomática entre Portugal e Venezuela

Sempre em busca de responsáveis externos para os problemas internos, o presidente venezuelano Nicolás Maduro responsabilizou publicamente Portugal de o governo bolivariano não ter conseguido cumprir a promessa natalícia de distribuir pernil de porco à população da Venezuela.

“O que se passou com o pernil? Fomos sabotados e posso dizer de um país em particular, Portugal. Estava tudo pronto, comprámos todo o pernil que havia na Venezuela, mas tínhamos que importar e sabotaram a compra”, acusou o presidente venezuelano.

Para Nicolás Maduro os Estados Unidos também são responsáveis pelo boicote do pernil de porco. Segundo o chefe de Estado venezuelano os barcos que transportavam os pernis foram sabotados e desviados pelos EUA. Segundo Maduro, Portugal ficou assustado com as pressões norte-americanas e optou por ficar com os pernis.

O vice-presidente venezuelano foi ainda mais longe nas acusações e considerou que a falha na entrega do pernil “É um ataque contra o povo da Venezuela”.

Face às acusações o ministro dois Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, excluiu qualquer interferência política e disse à antena da TSF que “o governo português não tem, seguramente, esse poder de sabotar pernil de porco”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

Moçambique recebe do Japão cinco viaturas de bombeiros

O Governo japonês disponibilizou cerca de 170 mil dólares a Moçambique para a aquisição de cinco viaturas destinadas ao Serviço…
Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

Angola: Reintegrados mais de 500 ex-militares em ações contra fome e pobreza

A vice-governadora provincial para o setor Político, Social e Económico de Benguela, Lídia Amaro, afirmou que 593 ex-militares foram reintegrados…
Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

Banco Mundial indica crescimento de 4,1% para Timor-Leste

O Banco Mundial prevê que Timor-Leste registe um crescimento económico de 4,1% em 2024 e 2025, através do alívio das…
UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

UE doa 50 milhões de euros à ONU para refugiados palestinianos

A União Europeia (UE) anunciou o envio da próxima parcela de 50 milhões de euros para a Agência das Nações…