Portugal: Cravinho diz que referendos de Putin “não têm nenhum valor”

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, João Gomes Cravinho, afirmou nesta terça-feira, 27 de setembro, que os referendos em curso nos territórios ocupados ucranianos não vão ter reconhecimento da comunidade internacional. 

[Os referendos] não têm nenhum valor. Estes resultados não serão reconhecidos por ninguém”, disse, citado pela “Lusa”. 

O governante considera que se trata de uma farsa “por parte do poder ilegítimo e ocupante na Ucrânia em partes do território ucraniano”. Como tal, prosseguiu, “o reconhecimento internacional será nulo”

Cravinho referiu ainda ser “muito importante que os responsáveis russos deixem de falar de forma irresponsável sobre a utilização de armas nucleares”

“É absolutamente incogitável a utilização de armas nucleares e devem abandonar este tipo de ameaça que, aliás, não intimida”, concluiu, aconselhando a Rússia a “procurar uma saída para a situação que criou” porque o país dirigido por Vladimir Putin “não vai ganhar esta guerra”.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) estima um crescimento considerável do crédito à economia em 2023 para Moçambique.  Se isso se…
Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

O Governo angolano assegurou nesta quinta-feira, 24 de novembro, que vai entregar a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE)…
Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Segundo a Ministra da Saúde de Cabo Verde, Filomena Gonçalves, desde o início de novembro houve um pequeno aumento dos…
Portugal reconhece qualificações académicas de 100 refugiados ucranianos

Portugal reconhece qualificações académicas de 100 refugiados ucranianos

A Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) de Portugal já reconheceu as qualificações académicas de cerca de 100 cidadãos ucranianos desde…