Portugal e Angola reforçam cooperação no setor das pescas

Portugal e Angola vão fortalecer a cooperação no setor das pescas nas áreas da aquicultura, investigação científica e formação de recursos humanos. O anúncio foi feito pela Secretária de Estado das Pescas de Angola, Esperança Maria da Costa, nesta quarta-feira, 03 de novembro. 

A representante angolana encontra-se em Lisboa, capital de Portugal, tendo as suas declarações sido proferidas numa conferência de imprensa conjunta com a homóloga portuguesa, Teresa Coelho

Segundo Esperança Maria da Costa, a cooperação entre os dois países no setor das pescas tem laços históricos e é muito forte nos diversos domínios, principalmente no da investigação científica e da formação de quadros especializados. No entanto, no âmbito do protocolo assinado em 2019, deverá haver um reforço da cooperação em algumas áreas, tendo em conta a estratégia do desenvolvimento sustentável, naquilo que são as prioridades nacionais, em termos de diversificação da economia. 

“Naquilo que são as necessidades também de maior desenvolvimento em Angola, como da aquicultura, na vertente continental, mas também da aquicultura marinha. Portugal tem uma boa experiência neste domínio, Angola tem um ecossistema marinho que oferece boas oportunidades para o desenvolvimento da aquicultura”, mencionou, citada pela “Angop”. 

Já a secretária de Estado das Pescas de Portugal afirmou que o país que representa encontra-se focado no setor das pescas ao nível de melhoria do rendimento dos pescadores, valorização do produto desta atividade, formação profissional e valorização da profissão. 

“Angola acompanha-nos e o que estamos aqui a estabelecer é continuar as bases de uma cooperação que já se iniciou há muito tempo. O objetivo é o mesmo, termos cada vez um setor das pescas e uma fileira do pescado, com bons resultados para os nossos pescadores. Desenvolver uma pesca sustentável e saber que os nossos pescadores têm um produto valorizado”, concluiu. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin