Portugal poderá receber 101 alunos e professores do Afeganistão

Foram 101 os membros do Instituto Nacional de Música do Afeganistão (ANIM) que saíram de Cabul, capital do Afeganistão, e aterraram na noite de segunda-feira, 04 de outubro, em Doha, capital do Qatar. 

Segundo o diretor do ANIM, Sarmast, está previsto que os deslocados sejam acolhidos por Portugal. O motivo da deslocação deve-se ao facto de os visados temerem possíveis represálias dos talibãs, uma vez que estes chegaram a proibir a música na altura em que estiveram no poder, entre 1996 e 2001. 

Cerca de metade do grupo é constituído por mulheres e raparigas, devendo o mesmo vir para Portugal com o apoio do Governo português. Sarmast afirmou que foi necessário o auxílio da embaixada do Catar em Cabul para que esta operação ocorresse com sucesso. 

Os músicos terão sido transportados em pequenos grupos até o aeroporto de Cabul, uma vez que os talibãs controlam o aeroporto local. Ao terem sido questionados pelos seus vistos, o problema foi resolvido pelas autoridades do Catar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin