Presidente de Portugal considera positiva visita a Angola

O Presidente da República de Portugal fez neste domingo, 28 de novembro, um balanço positivo da visita de dois dias a Luanda, capital angolana. Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, tratou-se de uma deslocação “importante”, uma vez que visava encontros com outros chefes de Estado e também ouvir os empresários portugueses em Angola. 

O governante português participou na Bienal de Luanda 2021 – Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz. 

Houve também tempo para uma reunião com o Presidente angolano, João Lourenço, com o futuro presidente da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Carlos Vila Nova, e com o presidente da União Africana, Félix Tshisekedi, também presidente da República Democrática do Congo, entre outras. 

O final da visita foi reservado para um encontro com empresários portugueses em Angola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin