Oposição ganha as eleições legislativas em STP

Os partidos que estavam na oposição ganharam as eleições legislativas em São Tomé e Príncipe. Os mandatos combinados do MLSTP/PSD e da Coligação PCD/MDFM-UDD dão maioria sobre o ADI.

De acordo com os resultados provisórios anunciados pelo presidente da Comissão Eleitoral Nacional, Alberto Pereira, os sociais-democratas e a Coligação acumulam 28 lugares no próximo parlamento. 23 para o MLSTP/PSD e 5 para a Coligação. ADI obteve 25 deputados e o Movimento de Cidadãos Independentes que apenas concorreu no distrito de Caué, no sul da ilha da São Tomé, conquistou dois deputados.

O presidente do MLSTP/PSD e o da Coligação fizeram uma declaração conjunta.

«O mais importante neste momento é que a oposição ganha estas eleições em São Tomé e Príncipe», afirmou Jorge Bom Jesus.

Ele felicitou “o povo, a organização em geral, sobretudo a forma ordeira e pacífica como decorreram essas eleições, apesar de toda a máquina do partido no poder e do governo, no sentido de adulterar o veredicto das urnas. Nós fomos seguindo todas as artimanhas, todas as estratégias ardilosas deste poder para falsear as expectativas da nossa população, através da comunicação social, desinformando através das inaugurações, lançamentos de pedra e propagandas baratas. Não pouparam esforços no sentido de atingir os seus fins”.

«Essas eleições são determinantes, históricas, que permitirão fechar um ciclo e abrir novas perspetivas para o nosso povo e para o nosso país», sublinhou o líder do MLSTP/PSD.

Arlindo Carvalho, por sua vez, sublinhou que o “ADI perdeu estas eleições” e enquanto presidente da Coligação adiantou que “estamos abertos ao diálogo para a constituição de um governo que seja estável. É nesta base de diálogo que vamos continuar os nossos trabalhos”.

Antes, as duas forças já tinham anunciado esses resultados. O diretor da campanha da Coligação espera que “os concorrentes saibam interpretar os resultados das eleições”

«Tem sido apanágio dos concorrentes falar da estabilidade política para governar, então o povo é quem mais ordena. O povo decidiu lançar-nos um desafio para que possamos nos entender», analisou Delfim Neves.

O seu colega do MLSTP/PSD entende que “o povo decidiu dizer basta ao medo, dizer sim à liberdade e chamar a oposição para dirigir o país”.

«O MLSTP/PSD estará sempre disponível para ajudar o país», afirmou Osvaldo Vaz.

O presidente do ADI afirmara após ter votado que «a escolha é simples. Jorge Bom Jesus será o próximo primeiro-ministro em associação com MLSTP-PSD, PCD, MDFM e outros ou então o povo irá votar a continuidade com ADI e Patrice Trovoada”.

Os resultados estão a ser apurados a nível distrital e depois subirá para a assembleia do apuramento geral no Tribunal Constitucional.

A Comissão Eleitoral ainda não se debruçou sobre o tratamento a dar ao boicote ocorrido na roça Rosema, em Lembá, norte da ilha de São Tomé. Os eleitores impediram a entrada dos representantes da CEN como protesto contra a falta de água, luz e estrada. Pelo número de eleitores que não votaram, em princípio, não haverá alteração dos resultados apurados.

Dos 97.274 eleitores inscritos votaram 78.456. A

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Cabo Verde tem mais de nove mil idosos a sofrer pobreza extrema

Cabo Verde tem mais de nove mil idosos a sofrer pobreza extrema

Os dados do Cadastro Social Único (CSU), divulgados pela Secretária de Estado para a Inclusão Social, Lídia Lima, indicam que…
Angola: BNA reduz taxa de juro base

Angola: BNA reduz taxa de juro base

O Comité de Política Monetária do Banco Nacional de Angola (BNA) reduziu a taxa de juro base em 0,5%. Esta passou…
ONU avisa sobre risco de conflito e mais pobreza no Afeganistão

ONU avisa sobre risco de conflito e mais pobreza no Afeganistão

O representante especial adjunto do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Afeganistão, Markus Potzel, afirmou que a…
NATO considera anexação de territórios "a mais séria escalada" da guerra

NATO considera anexação de territórios "a mais séria escalada" da guerra

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, afirmou nesta sexta-feira, 30 de setembro, que a anexação dos territórios ucranianos à Rússia representa…