Novo sistema de recenseamento eleitoral em São Tomé e Príncipe e na diáspora

O recenseamento eleitoral de raiz em São Tomé e Príncipe vai decorrer de 25 de fevereiro a 25 de maio no país e na diáspora. O calendário de deslocação das brigadas que estarão no terreno a partir deste sábado já está definido.

Está a ser instalado um novo sistema de recenseamento eleitoral por técnicos de uma empresa portuguesa. Inclui um novo servidor e vários kits oferecidos pelo governo timorense no quadro da cooperação bilateral entre os dois países, membros da CPLP e de G7+. Foi a mesma empresa que forneceu os equipamentos.

Por outro lado, os mesmos técnicos coadjuvados por estagiários nacionais orientaram a formação de formadores dos agentes recenseadores eleitorais, que teve duas componentes: teórica e prática.

Entretanto, no âmbito dos preparativos, o presidente da Comissão Eleitoral, Alberto Pereira, e membros da sua equipa, tiveram encontros com os responsáveis de diversos partidos políticos, nomeadamente o MDFM/PL, o PCD, o MLSTP/PSD, o ADI, o UDD, assim como CODO, PTS, UNDP, FDC e PS.

As conversas decorreram de forma franca. O presidente da Comissão teve a oportunidade para informar sobre os expedientes relacionados com o recenseamento eleitoral.

De recordar que a imagem da CEN ficou afetada com a gestão das eleições presidenciais em meados de 2016. A segunda volta, só teve um candidato: Evaristo Carvalho. Para protestar contra as irregularidades, Manuel Pinto da Costa, o segundo candidato mais votado optou por desistir, depois de denúncias e diversas iniciativas junto às instâncias judiciais em que também participou a candidata Maria das Neves, para que o processo eleitoral fosse anulado.

A recondução do presidente da CEN numa das sessões parlamentares não mereceu a aprovação dos partidos da oposição. A Direção da Comissão que é ad-hoc terá de fazer prova de muita competência e eficiência para alterar a impressão negativa que paira sobre a mesma.

2017 é o ano de eleições locais, ou seja, autárquicas e na Região Autónoma do Príncipe, mas ainda há incertezas sobre a sua realização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Angola mantém aposta na diplomacia económica

Angola mantém aposta na diplomacia económica

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António, reiterou a aposta do Governo na promoção da diplomacia económica. O…
Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra ganha pela segunda vez concurso ERC

Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra ganha pela segunda vez concurso ERC

A Investigadora Principal do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES-UC), Ana Cristina Santos, acaba de ganhar um…
Cabo Verde: PR propõe fundos para autonomia dos municípios

Cabo Verde: PR propõe fundos para autonomia dos municípios

O Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Neves, propõe a criação de um Fundo de Desenvolvimento Local e…
Timor-Leste: Representante da CPLP apela à participação nas presidenciais

Timor-Leste: Representante da CPLP apela à participação nas presidenciais

O chefe da missão de observação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) às eleições presidenciais em Timor-Leste, o…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin