São Tomé e Príncipe

STP Covid-19: Número de casos está a aumentar

O número de casos de coronavírus em São Tomé e Príncipe tende a aumentar. Era o esperado. Já são 14. Mais 3 nas últimas 24 horas. Oficialmente. É provável que sejam mais. Está a depender da capacidade do país em alargar o rastreio e fazer as análises, por um lado.

Os materiais, nomeadamente para testes rápidos, continuam a chegar com apoio de parceiros. Como em muitos outros países, a pandemia está a pôr a nu as fragilidades do Sistema de Saúde Nacional. Por exemplo, esta quinta-feira foram enviadas para Gana, as colheitas feitas para serem analisadas por PCR. São Tomé e Príncipe não tem um laboratório a altura para fazer este tipo de exame. A OMS prometeu oferecer um laboratório deste tipo, que ainda não chegou ao país.

Por outro lado, a sociedade tem que lidar com o comportamento de risco de vários cidadãos. O ministro da Saúde, Edgar Neves, lamentou que “muita gente ainda não acredita que esta doença está instalada no nosso país”

Nas últimas 24 horas mais de três dezenas foram levados ao Ministério Público, por violarem o confinamento obrigatório a partir das 19 horas. Em Neves, norte da ilha de São Tomé, houve mesmo um incidente que obrigou a intervenção musculada das forças da ordem.

As campanhas de sensibilização multiplicam-se. O governo voltou a pedir o contributo das igrejas Católica, Evangélica, Assembleia de Deus e Adventista do sétimo dia, na sensibilização da população, visando travar o avanço do coronavírus no país. Todos reafirmaram o compromisso na luta contra a pandemia.

O secretário de Estado do Comércio, Eugénio da Criança, anunciou que o governo vai distribuir, dentro de uma semana, 60 mil máscaras de proteção para as pessoas mais vulneráveis e de renda baixa, no âmbito do esforço contra a propagação do Covid-19. As máscaras estão a ser fabricadas por dezenas de costureiros e vão custar ao Estado cerca de seis mil euros.

A utilização de máscaras passou a ser obrigatória, após a identificação de primeiros casos.

Enquanto isso, a Agência Nacional do Petróleo de São Tomé e Príncipe (ANP-STP), em conjunto com a empresa Galp e a Equator Exploration, entregaram esta quinta-feira “contentores com aproximadamente 23 toneladas de material de desinfeção ao governo, através do Ministério da Saúde, como contribuição para o combate à COVID-19 no nosso país”.

De acordo com um comunicado da ANP, “esta ação enquadra-se no âmbito dos compromissos de responsabilidade social das empresas para o Bloco 12 da Zona Económica Exclusiva (ZEE) de São Tomé e Príncipe”.

Os materiais incluem 936 embalagens de lixívia de 5 litros, 17 tanques de lixívia de 1000 kg e 700 barras de sabão azul.

«Enquanto Entidade Reguladora do setor petrolífero, a ANP-STP regozija-se com a entrega destes produtos que representa uma valiosa contribuição, que se tornou possível graças ao prestimoso serviço prestado pela equipa da Galp», acrescenta o comunicado.

«A ANP-STP continua a estudar outras formas de colaboração com as empresas petrolíferas para reforçar as ações do Governo com vista a mitigar a propagação do COVID-19», conclui a nota.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo