São Tomé e Príncipe

STP: Jorge Bom Jesus Nas Mãos de Evaristo Carvalho

O presidente da Republica Evaristo Carvalho reuniu esta quarta-feira, no palácio do Povo em reunião de conselho de Estado e decidiu que irá tomar em breve uma decisão sobre da atual situação política do País.

A decisão foi avançada pelo Porta-voz do encontro, Ramos Dias frisando que “o senhor Presidente da República tomou boa nota e estou convencido que ele vai reagir em função das análises que nós apresentamos”.

Ramos dias disse que “Só o presidente sabe o que vai acontecer, não houve consenso, cada um fez a sua análise” .

“O Presidente irá tornar pública a sua decisão, penso que vai ser a breve trecho”, disse Ramos dias para depois sublinhar que “acho que dentro dos próximos dias o Presidente vai tomar uma decisão”.

O Porta-vos disse ainda que “o diálogo é a coisa mais importante que existe” admitindo a hipótese da probabilidade de mais encontro antes da decisão do Presidente da República, dizendo depois que “foi muito exaustivo, mas cumpriu-se com a ordem do dia que é análise de situação política actual”

Esta reunião de Conselho de Estado acontece quatro dias depois do Presidente da República ter manifestado “espanto e profunda indignação” por Governo ter retirado confiança ao Procurador-Geral da República, PGR, no âmbito de um desentendimento com a Directora da Polícia Judiciaria, PJ por causa de desaparecimento de droga nesta polícia.

Na altura o Chefe de Estado são-tomense acrescentou que “a nação inteira e a comunidade democrática esperam do Governo uma retratação imediata nos seus propósitos para que possa vingar o Estado de direito e o respeito pelos direitos, liberdades e garantias”.

Face as declarações do Presidente da República, o principal partido no poder, o MLSTP-PSD,  declarou apoio de “forma veemente a posição do Governo em retirar confiança ao Procurador-Geral da República (PGR) e exortou os órgãos de soberania a não criarem falsas crises institucionais e concentrarem-se no combate ao tráfico de drogas, crime organizado e corrupção no país.

Ainda sobre a mesma questão, a Coligação PCD-MDFM-UDD disse entender que “Procurador-Geral da República é politicamente responsável parente o governo”, contrariando os argumentos do Presidente da República no âmbito de um desentendimento entre o Ministério Publico e a Policia Judiciária por causa de desaparecimento de droga nas instalações desta polícia.

 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo