São Tomé e Príncipe

STP: Lançado o concurso para a construção do porto em águas profundas

Está lançado o concurso público internacional para a construção de um porto multiúsos, em Fernão Dias, com uma outra abordagem.

“Nós dizemos aos futuros operadores que nos façam uma proposta, que pode incluir porto de pesca, porto multiúsos ou porto de contentores. Portanto, nós queremos um projeto que seja de multiúsos e que, na perspetiva de quem o apresentou, seja suficientemente rentável para que ele possa meter o seu dinheiro”, disse o conselheiro do ministério da Obras Publicas, Infraestruturas e Recursos Naturais e Ambiente.

“Estamos abertos a várias propostas. Há coisas que nós sabemos e que estão definidas nos termos de referência, mas além disso, os potenciais operadores e utilizadores podem fazer outras propostas suficientemente atrativas para viabilizar o projeto”, explica António Aguiar.

De acordo com o executivo são-tomense, o proponente pode optar pela construção de um porto de pesca, terminais marítimos, bankering, terminais de passageiros ou várias outras atividades.

“O operador privado tem que ser suficientemente aberto para dizer: para eu viabilizar o meu investimento de muitos milhões de dólares, tenho que ter essas valências todas e o Estado santomense olha para o projeto, e em função daquilo que considera interessante para o país, negociar essas concessões todas”, clarificou.

“Não vale a pena nós estarmos a referir a construção de um determinado porto em montantes de 200 a 300 milhões de dólares, porque depois não há dinheiro para o construir”, disse António Aguiar.

O executivo do primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, que lançou o concurso público reconheceu ter “vivido fracassos ao longo desses anos nas tentativas” de construir um porto de águas profundas.

A ideia lançada há cerca de 10 anos e que já tinha uma companhia parceira, a francesa Terminal Link, sofreu reveses, devido à crise financeira internacional.

Em finais de 2017, o executivo do ex-primeiro ministro Patrice Trovoada anunciou que teria negociado com a China Popular a construção de um porto pesqueiro avaliado em mais de 80 milhões de dólares.

As propostas serão abertas até 20 de janeiro de 2020 em sessão pública. O ministro das Obras Públicas, Infraestruturas e Recursos Naturais garante que este projeto “é fundamental para o desenvolvimento almejado de São Tomé e Príncipe, enquanto um arquipélago”.

“Este governo coloca neste projeto toda a sua dinâmica e tudo será disponibilizado para que nós possamos concretizá-lo”, disse Osvaldo Abreu, quem manifestou “toda a abertura e disponibilidade para trabalhar com todos que queiram trilhar connosco este caminho de São Tomé e Príncipe contar com uma infraestrutura portuária digna”. O ministro informou também que o governo já recebeu “várias propostas” de parceiros interessados, mas o executivo tem sido “muito cauteloso”, por causa dos “fracassos vividos desses anos na concretização deste projeto”.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo