São Tomé e Príncipe

STP: Passageiros que chegaram ao país em quarentena

Mais de uma centena de passageiros que chegou a São Tomé e Príncipe, durante o fim de semana, provenientes de Portugal, Gana e Camarões foram todos confinados em diferentes espaços, onde permanecerão por 15 dias, sob controlo sanitário e fortes medidas de segurança.

O espaço aéreo foi encerrado por duas semanas, desde o meio-dia de sábado, mas situações pontuais estão a ser atendidas. 110 passageiros chegaram de Lisboa, as atletas da seleção feminina de futebol e membros da delegação que as acompanhou, dos Camarões e 10 tripulantes que estavam no Gana.

A STP Airways regressou a Lisboa com 235 passageiros que se encontravam no país à espera do primeiro avião para regressarem aos seus países de origem. As autoridades anunciaram ainda para esta semana mais um voo especial da TAP que vem buscar outros portugueses que manifestaram interesse em regressar ao seu país. A companhia já tinha anunciado a suspensão temporária das suas operações semana passada, com efeito imediato.

O Comité de crise do governo tem reunido regularmente para acompanhar a evolução da situação. O balanço feito após as primeiras 24 horas de quarentena aponta que não existe qualquer caso suspeito.

«Da avaliação feita pelas equipas médicas, até agora nenhum passageiro manifesta sinais ou sintomas relacionados com o coronavírus», disse o ministro da presidência do Conselho de Ministros e Assuntos Parlamentares ao fazer o balanço das medidas de prevenção tomadas contra a pandemia, após uma reunião este domingo.

Wuando Castro desmentiu, por outro lado, as reclamações quanto à instalação de alguns passageiros em quarentena.

«A sala de conferência do hotel foi preparada para albergar um número elevado de pessoas. A sala está com 60 beliches com 15 pessoas respeitando as distâncias sanitárias exigidas”, explicou.

Porém, admitiu que há algumas falhas que estão a ser corrigidas, porque é uma “situação nova”.

Os que estão isolados têm “todas as refeições, acesso aos seus telefones, a internet, televisão, livros, revistas, baralho de cartas, e vão poder usar a piscina, mas nada de contacto, pelo menos visual, com a família durante os próximos 15 dias”.

A complexa operação foi decidida na sessão extraordinária do Conselho de Ministros, atendendo à evolução do vírus na Europa, particularmente, Portugal.

Por outro lado, o executivo analisa uma proposta do governo regional do Príncipe que visa a suspensão de voos entre as duas ilhas.

«É uma medida que nós consideramos ter implicações gravosas, mas iremos analisá-la na próxima sessão de conselho de ministros», comentou Wuando Castro.

As autoridades têm reiterado o apelo à calma e tranquilidade, e que a população adote sempre as medidas sanitárias recomendadas pelo Ministério da Saúde.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo