São Tomé e Príncipe

STP: Presidente da Assembleia defende África unida contra o Covid-19

O presidente da Assembleia Nacional, Delfim Santiago das Neves, participou na última segunda-feira, em São Tomé, numa conferência online, sobre odia da África subordinada ao tema “Superando Conflitos e Enfrentando o Desafio da Covid -19: Criando uma África Interdependente e Próspera”, organizada pela Federação Para a Paz Universal.

Delfim Neves, no seu discurso introdutório, começou por dizer que “do meu ponto de vista, falar sobre o Dia de África no contexto dos objectivos da paz e desenvolvimento da União Africana, implica invocar vários factores’’. Segundo o líder do parlamento São-tomense, ‘’alguns desses factores necessariamente de natureza económica e técnica, a marcar timbre nos esforços empreendidos pelas autoridades e povos do continente, mas que não podem nem devem subalternizar tudo quanto se conseguiu, ao longo dos tempos, em termos de valorização da história e das culturas africanas”.

“A este respeito, a par das grandes realizações conseguidas sobretudo nos anos 60 do passado século, com a independência dos países, África deve prosseguir na senda do combate aos mitos e preconceitos que continuam ainda hoje a perturbar a sua história”, disse Delfim Neves.

O Presidente da Assembleia Nacional disse ainda que “o Covid 19 veio deixar a nu e despertar todos os líderes africanos e a população africana, de modo geral, para a necessidade de uma África Unida, em torno de um projecto comum dedicado ao almejado desenvolvimento que todos auguramos, deixando cair no esquecimento o exacerbado egoísmo de poder e enriquecimento de determinadas individualidades e grupos, enquanto a maioria da população africana carece da assistência básica virada para a sua sobrevivência”.

“Num contexto tão dilacerante e adverso como o actual, em que às citadas crispações e conflitos se associam os revezes do famigerado Covid – 19’’- alertou Delfim Neves para sublinhar que ‘’a África ganha em respeitar e aplicar as orientações da OMS e dos respectivos governos no combate contra a terrível pandemia’’.

Para este responsável, a obediência deve ser observada ‘’tanto do ponto de vista relativas à protecção sanitária das suas populações (o confinamento, a quarentena, o isolamento social, a higienização, etc.) como a do “lay-off”’’.

‘’Demais formulações de índole social, tendentes a garantir a protecção dos trabalhadores face às fatídicas consequências da doença”, acrescentou Delfim Neves no seu discurso introdutório.

Na óptica de Delfim Neves “julgo que partindo da visão do fundador da Federação para Paz Universal, este é o momento ideal para a promoção, no seio da União Africana, de debates tendentes a encontrar, em primeiro lugar, mecanismos que fomentem a prevalência da paz e da harmonia entre os Estados e Povos africanos’’.

Asseverou, igualmente, em segundo lugar que deve-se ‘’ analisar a melhor forma para a consolidação de uma verdadeira união africana, condição indispensável para o desenvolvimento de tão rico e próspero continente”.

Neste encontro realizado por videoconferência participaram várias figuras políticas africanas, com destaque para o antigo presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, ex-Vice-Presidente da Zâmbia, Nevers Mumba, antiga ex-ministra da Família, Assuntos Sociais e Micro Finanças de Benim Marie-Laurence Sranon, e o Presidente da Federação para paz Universal, Thomas Walsh.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo