STP recebe 21 observadores da CPLP para as eleições

A Missão de Observação Eleitoral (MOE) da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) está presente nas eleições legislativas, regionais e autárquicas de São Tomé e Príncipe

Foram 21 os observadores escolhidos para marcarem presença no terreno entre os dias 19 e 28 de setembro, segundo a organização internacional formada por países lusófonos. O sufrágio está marcado para domingo, dia 25. 

A MOE-CPLP é chefiada pelo Embaixador da República Federativa do Brasil em Angola, Rafael Vidal. Os observadores foram designados pelos Estados-membros, pela Assembleia Parlamentar da CPLP e pelo Secretariado Executivo. 

O objetivo da Missão consiste em acompanhar a fase final da campanha eleitoral, o dia do sufrágio – incluindo a abertura e o encerramento de urnas – e o apuramento parcial dos resultados.  

Na agenda da MOE-CPLP são incluídos encontros com os vários candidatos das eleições, além dos órgãos de administração eleitoral, dos Embaixadores do Grupo CPLP e de outras missões internacionais de observação eleitoral. 

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) estima um crescimento considerável do crédito à economia em 2023 para Moçambique.  Se isso se…
Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

O Governo angolano assegurou nesta quinta-feira, 24 de novembro, que vai entregar a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE)…
Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Segundo a Ministra da Saúde de Cabo Verde, Filomena Gonçalves, desde o início de novembro houve um pequeno aumento dos…
Portugal reconhece qualificações académicas de 100 refugiados ucranianos

Portugal reconhece qualificações académicas de 100 refugiados ucranianos

A Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) de Portugal já reconheceu as qualificações académicas de cerca de 100 cidadãos ucranianos desde…