São Tomé e Príncipe

STP: São Tomé e Príncipe irá introduzir os cartões Visa e MasterCard

Jorge Bom Jesus

O Banco Central irá introduzir no segundo semestre de 2021 o cartão Visa e Master Card em São Tomé e Príncipe, a garantia foi dada pelo Governador do Banco Central, Américo de Barros.

Américo barros fez estas declarações na cerimónia comemorativa alusivo ao 28º aniversário da institucionalização do Banco central. “Impõe-me dizer que a conjuntura económica internacional do ano findo, foi marcada pelo protecionismo e tensões geopolíticas que lançaram incertezas no mercado internacional e desaceleraram o ritmo do crescimento económico a nível mundial, com impacto devastador para a economia de São Tomé e Príncipe” disse o Governador do banco central.

Falando sobre o impacto e a pandemia Covid-19 teve na economia São-tomense, Américo Barros disse que “economia internacional, foi e continuará a ser nos próximos anos bastante adversa aos propósitos das minúsculas economias altamente dependentes da generosidade externa” – para depois acrescentar que “se não bastasse toda essa adversidade viu-se abalado por uma doença como se tivesse o propósito de devastar a economia global e acabar com a raça humana”.

“Há 28 anos a prioridade centrava-se na reforma do sistema financeiro, na estabilidade de preços como condição necessário para criação de um ambiente económico previsível e favorável para atração de investimento privado” – frisou Américo Barros.

A cerimónia foi presidida pelo Presidente da Assembleia Nacional, Delfim Santiago das Neves, que no ato disse que “dadas as fragilidades já de si conhecidas, o nosso país foi profundamente abalado pelo Covid-19, cujas consequências ainda são imprevisíveis”.

Neves disse ainda que “na atual circunstância, salienta-se a necessidade de o Banco Central se preocupar com medidas urgentes tendentes à rápida recuperação económica”.

O Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus em representação do Governo disse que “esta data é um marco indelével no processo de consolidação do sistema financeiro São-tomense”.

“No ano em que a independência Nacional e politica completa 45 anos afigura-se como oportunidade de refundação de atitudes, valores e praticas de cidadania, inovação, resiliência perante tempos novos, soluções novas e imprevisíveis nos tempos de retoma pós Covid-19” – disse o Primeiro-ministro.

Jorge Bom Jesus finalizou dizendo que “cuidar da economia entranhada no sector privado, cuidar da boca e da barriga dos são-tomense, da saúde, da educação e infraestruturas deverá ser tónica dos desafios com disciplina, unidade e muito trabalho”.

A cerimónia decorreu no novo edifício do Banco Central, contou com a presença de quadros da instituição, alguns convidados com destaque para o Primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, Presidente do Tribunal Supremo de Justiça, Silva Cravid, Presidente de Tribunal de Contas, Bernardino Araújo, Procurador-Geral da República Kelve Nobre de Carvalho, Ministro da Presidência e do Conselho de Ministros, Wando Castro, ministério do Trabalho, Solidariedade, Família e Formação Profissional, Adlander Matos, Educação e Ensino Superior, Julieta Isidro Rodrigues e o Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural,  Francisco Ramos.

Além dos discursos, nomeadamente, do Presidente da Assembleia Delfim Neves, do Governador do Banco Central, Américo de Barros, e do Primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, o evento ficou marcado também com assinatura do livro de honra pelos membros dos órgãos de soberania, espaços culturais com aclamação de poemas e músicas e visita ao edifício.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo