Timor Leste

Banco Europeu de Investimento destina 2 milhões de euros a operações de microfinanciamento em Timor-Leste

Chefe da Delegação da União Europeia em Timor-Leste - Alexandre Leitão (Fotografia: Página oficial UE TL)

O primeiro-ministro timorense Mari Alkatiri, assinou na passada sexta-feira, a carta de carta de não objeção para um investimento de 2 milhões de euros pelo Banco Europeu de Investimento para a empresa de microfinanciamento Kaebauk Investimentu no Finansas (KIF). Na cerimónia esteve presente o chefe da delegação da União Europeia no país, o embaixador Alexandre Leitão. Este financiamento foca-se nas áreas da educação, na agricultura, na habitação, e pretende beneficiar cerca de 58.000 timorenses.

A União Europeia assume que considera que, a associação com operações de microfinanciamento, é especialmente importante no domínio agroflorestal. Este financiamento vai ter maior impacto na população rural, que representa 70 % da população de Timor-Leste e que, atualmente, representa também 80% dos clientes do KIF, nomeadamente através da agricultura. Para além disso, vai ter um papel relevante na educação através de bolsas de estudo, proporcionando mais oportunidades para a camada mais jovem da população, explica o comunicado oficial do Governo.

O comunicado destaca ainda a base de clientes da empresa KIF, composta em mais de 90% por mulheres.

Durante a assinatura do acordo, o chefe de Governo sublinhou a importância de chegar às populações rurais, pelo acesso a financiamentos em pequena escala para melhorar os fatores de produção e equipamentos, a comercialização de produtos agrícolas e a cadeia de valor agrícola, a fim de reforçar os rendimentos rurais e os meios de subsistência. O primeiro-ministro reforçou ainda a importância deste financiamento para que os mais jovens possam estudar e ter mais oportunidades.

A empresa KIF obteve uma licença do Banco Central de Timor-Leste em março de 2016, tem 22 ramificações em Timor-Leste, e uma considerável presença em empréstimos agrícolas e de educação. Este financiamento integra-se no “Acordo de Cotonou”, o acordo entre a União Europeia e o Governo de Timor-Leste.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo