Crise | Timor Leste

Ministério Público de Timor-Leste pede 10 anos de prisão para antigas ministras acusadas de fraude

O Ministério Público de Timor-Leste pediu penas de 10 anos de prisão para duas antigas ministras acusadas de participação económica em negócio e administração danosa.

Emília Pires, ex-titular da pasta das Finanças, e Madalena Hanjan, ex-vice-ministra da Saúde são acusadas de irregularidades na compra de centenas de camas hospitalares em contratos adjudicados à empresa do marido de Emília Pires, com um suposto conluio entre os três para a concretização do negócio, no valor de 800 mil dólares.

“O Ministério Público considera haver prova suficiente para demonstrar que as arguidas cometeram atos ilícitos”, disse a procuradora Lídia Soares, que provou terem provocado prejuízos ao Estado no valor de aproximadamente 183 mil dólares.

A legislação aplicável prevê penas de prisão de dois a oito anos mas, se os prejuízos forem superiores a 10 mil dólares, podem chegar a 15 anos de prisão.

 

 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo