ONU recomenda a Timor-Leste cooperação com várias entidades para eleições

A Missão de Aconselhamento Eleitoral da Organização das Nações Unidas (ONU) recomendou ao Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE) que cooperasse com todas as entidades para uma preparação adequada das próximas eleições presidenciais e parlamentares. Recorde-se que as presidenciais estão marcadas para 2022 e as parlamentares para 2023. 

O Diretor-Geral do STAE, Acilino Branco, pediu transparência à equipa do secretariado através da publicação das atividades eleitorais dos partidos, bem como o reforço dos trabalhos no terreno. 

“A missão de aconselhamento eleitoral está empenhada em ajudar o processo eleitoral em Timor-Leste. Esta organização internacional prestará o seu apoio através do PNUD [Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento], de acordo com a sua capacidade e a nossa necessidade”, afirmou. 

O PNUD está a auxiliar, atualmente, o secretariado a implementar o cartão eleitoral biométrico no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin