Timor-Leste: CCFP timorense fala sobre problemas no OGE 2021

O Conselho Consultivo do Fundo Petrolífero (CCFP) de Timor-Leste avisou que existem problemas na proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2021, entre os quais elevadas despesas correntes estatais e a falta de investimento em áreas que o Governo define como prioritárias. 

“De ano para ano os gastos correntes dominam a despesa do Estado. A maior parte da despesa corrente vai para beneficiários individuais”pode ler-se num parecer do CCFP. 

A necessidade de rever o modelo económico, que continua a depender demasiado do Fundo Petrolífero e não tem suficiente diversificação económica nem apoio adequado aos setores produtivos é outros dos problemas indicados num parecer da instituição. 

O parecer do CCFP foi apresentado à Comissão C, de Finanças Públicas, do Parlamento Nacional. Cabe a este último analisar a proposta do OGE para 2021. 

No texto o CCFP pediu então ao Parlamento que dê “atenção séria à sustentabilidade fiscal e à produtividade económica baixa do Governo, que constitui uma ameaça para a economia financeira de Timor-Leste”, com o Fundo Petrolífero (FP) em risco de se esgotar numa década. 

O CCFP pediu igualmente que se trabalhe para reduzir as importações, principalmente de bens essenciais, apoiando a produção agrícola, o setor turístico e as atividades económicas comunitárias, encorajando o setor privado a investir na indústria transformadora. 

Este conselho quer que o recurso ao FP para financiar o OGE seja feito com “responsabilidade, eficiência, eficácia e transparência para garantir o desenvolvimento económico de Timor-Leste de forma sustentável e inclusiva”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

EUA querem Rússia fora do Conselho dos Direitos Humanos

EUA querem Rússia fora do Conselho dos Direitos Humanos

Os Estados Unidos da América (EUA) sugerem que a Rússia seja excluída do Conselho dos Direitos Humanos. A proposta foi…
Rússia diz que guerra na Ucrânia não afeta relações com Moçambique

Rússia diz que guerra na Ucrânia não afeta relações com Moçambique

O ministro conselheiro da Rússia em Moçambique, Dimitri Sorokin, garantiu que a guerra na Ucrânia não afeta as relações de…
Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Igor Mazepa Baran tem 57 anos de idade e vive na cidade de Curitiba, no Brasil. É brasileiro com descendência…
Representação Central Ucraniano-Brasileira critica neutralidade do governo do Brasil diante da invasão russa

Representação Central Ucraniano-Brasileira critica neutralidade do governo do Brasil diante da invasão russa

Em declarações à nossa reportagem, Vitorio Sorotiuk, presidente da Representação Central Ucraniano-Brasileira (RCUB), disse ter apelado “oficialmente ao presidente do…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin