Timor Leste

Timor-Leste: CNRT recusa idas ao Parlamento por não aceitar presidente do órgão

O chefe da bancada do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), Duarte Nunes, informou que o partido não vai participar em atividades parlamentares até que seja conhecida a decisão do Tribunal de Recurso sobre a legalidade ou não da eleição do novo presidente do órgão.

Esta atitude foi tomada pelo facto de a formação política considerar ilegal a votação que levou Aniceto Guterres, da Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente (Fretilin), a ocupar o cargo de presidente do Parlamento, em substituição de Arão Noé, do CNRT.

Neste âmbito, o CNRT decidiu apresentar um recurso ao Tribunal de Recurso, encontrando-se o mesmo em processo. Depois de se saber a decisão, a organização política decidirá o que fazer, segundo Duarte Nunes.

Essa foi a justificação dada pelo facto de o partido, segunda maior força no Parlamento, ter estado ausente na Conferência de Líderes das bancadas, que decorreu nesta quinta-feira, 21 de maio, tendo sido organizada por Aniceto Guterres.

Não marcaram igualmente presença as formações políticas aliadas do CNRT, que são o Partido Unidade Desenvolvimento Democrático (PUDD), a União Democrática Timorense (UDT) e a Frente Mudança (FM). 

Recorde-se que Aniceto Guterres foi eleito presidente do Parlamento na terça-feira, o que aconteceu no segundo de dois dias consecutivos de tensão sem precedentes no Parlamento Nacional, com agressões entre deputados, mesas derrubadas, gritos, empurrões e a intervenção de agentes policiais.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo